Unidades prisionais do RN aderem ao Encceja

Exame Nacional de Certificação de Competência de Jovens e Adultos ocorrem em outubro.

Da redação, Seap,
Assecom/Seap
Objetivo da Seap é que todas as unidades prisionais do RN possam propiciar aos detentos a oportunidade de participarem do Encceja.

Internos de todas as unidade prisionais do Rio Grande do Norte terão a oportunidade de concluir o ensino fundamental ou médio, por meio do Exame Nacional de Certificação de Competência de Jovens e Adultos (Encceja), em outubro próximo. A Secretaria de Estado de Administração Penitenciária (Seap), por meio do Departamento de Promoção a Cidadania, está viabilizando a realização do exame em todas as unidade prisionais do Rio Grande do Norte.

O Encceja é uma iniciativa do Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep), voltado para jovens com idade mínima de 15 anos e 18 anos, para a certificação no ensino fundamental e médio, respectivamente.

O exame pode beneficiar a População Privada de Liberdade (PPL) e no estado a educação passou a ser uma das prioridades no sistema prisional. 

O secretário Pedro Florêncio disse estar criando condições para que todas as unidades prisionais do Estado possam estar preparadas para dar oportunidade ais internos de participarem do Encceja, a ser realizado nos dias 8 e 9 de outubro.

A responsável pelo Departamento de Promoção a Cidadania, Alcinéia Rodrigues dos Santos explicou que até 2018, apenas unidade maiores aderiam, como Alcaçuz e os presídios de Caicó e Mossoró. “Em 2019, todas a unidades irão participar, inclusive o CDP da triagem, com internos interessados em fazer a prova”, disse.

Encceja2-H

De acordo com Alcinéia, para ter direito a certificação o interno necessita alcançar uma nota míima de 100 em todas a áreas de conhecimento e 500 na redação. Caso o candidato alcance a nota mínima e algumas áreas e outras não, ele tem a oportunidade de repertir em uma próxima edição do exame, apenas nas disciplinas em que nao alcançou o ponto de corte.

Além da certificação, por orientação da diretriz nº044 do Conselho Nacional de Justiça (CNJ), os apenados têm direito a outro benefício, que seria a remissão da pena. “É o mesmo direito que os internos que estudam ou fazem o Exame Nacional do Ensino Médio(Enem). Contudo, apesar da diretriz, depende do entendimento do juiz. No RN existe casos de remissão proporcional”, revelou.

Além da prova presencial, o candidato ainda tem o direito de tentar a certificação pelo ensino a distância, cumprindo a carga horária necessária. Em ambos os casos, os apenas passam pela análise do Inep, que emite um parecer à Secretaria de Estado da Educação para a emissão das certificações.


Tags: Encceja Governo do Estado RN Seap unidades prisionais
A+ A-