‘Ainda é muito cedo para analisar tendências’, diz Ivenio Hermes sobre redução de homicídios

Coordenador de Estatísticas e Análises Criminais defende policiamento realizado com ‘inteligência’ para aumentar segurança.

Flávio Oliveira,
Reprodução/Nominuto
Coordenador do Coine, Ivênio Hermes, demonstrou prudência ao analisar as mudanças nos índices de criminalidade do Rio Grande do Norte.

“Ainda é muito cedo para a gente analisar tendências”. A afirmação é do Coordenador de Informações Estatísticas e Análises Criminais, Ivenio Hermes, sobre a redução no número de Crimes Violentos Letais Intencionais (CVLI) ocorrida no mês de janeiro deste ano, em relação ao mesmo período de 2018.

De volta ao Coine, órgão vinculado à Secretaria de Segurança Pública e da Defesa Social (Sesed), o pesquisador atribui a queda de 200 homicídios no primeiro mês do ano passado para 124 mortes em 2019, à utilização do policiamento ostensivo e barreiras em locais estratégicos, com bases nos índices de criminalidade apontados pelas estatísticas.

Embora demonstre otimismo com uma melhora no quadro da violência, Ivenio Hermes mantém prudência ao analisar a mudança na escalada de crimes. “Precisa de uns três meses para gente poder fazer uma análise de tendência. Atualmente o que a gente pode falar é desse esforço em utilização da análise criminal como ferramenta e fazer com que essa análise criminal alcance êxito em redução de homicídios”, disse.

“O policiamento ostensivo tem sido colocado de forma inteligente, as barreiras têm sido itinerante, como a gente sempre diagnosticou e orientou. Barreiras itinerantes, que não duram muito tempo em determinado horário, em determinado local. Elas vão para diversos locais e assim há um impacto maior nessa criminalidade”, defende o coordenador.

Sobre a reunião realizada nesta segunda-feira (4) pelo ministro da Justiça e da Segurança Pública, Sérgio Moro, com governadores e secretários de Segurança Pública dos estados, Ivenio defendeu o alinhamento entre governo federal e demais federações em uma política voltada à redução de homicídios no país.

“Acredito que Sérgio Moro esteja se alinhando à redução de homicídios, ele esteja se alinhando ao combate à corrupção. Toda vez que nós temos um gestor preocupado em aumentar a sensação de segurança da população, nós podemos acreditar que coisas boas virão. Nós só precisamos nos alinhar para que essas políticas sejam devidamente evidenciadas no nosso Estado”, declarou.

No entanto, o Governo do Rio Grande do Norte não enviou representante para o encontro. Em contato com o portal Nominuto.com, a assessoria de comunicação da Sesed informou que o secretário Francisco Araújo não pôde ir devido à realização de eleições suplementares nos municípios de Santa Cruz e Passa e Fica no domingo.


Confira a entrevista com Ivenio Hermes:


Tags: Coine Ivenio Hermes Segurança Pública
A+ A-