Plataforma digital reúne informações para alertar sobre Diabetes tipo 2

Projeto tem o objetivo de conscientizar a população sobre a importância do diagnóstico precoce.

Da redação,

O Projeto Bom Dia – um dia de cada vez, e cada dia melhor!, realizado pela Servier do Brasil com o apoio da ADJ Diabetes Brasil e da Associação Nacional de Assistência ao Diabético (ANAD), foi criado com o objetivo de ser mais uma fonte de informações para aumentar tanto o conhecimento sobre o Diabetes mellitus tipo 2, como o diagnóstico precoce da doença, além do crescimento da adesão ao tratamento.

Por meio do site www.projetobomdia.com.br, é possível encontrar informações que abordam, de maneira clara e objetiva, dicas para a comunidade como a visão geral da doença, riscos, tratamento e prevenção; para o paciente, com orientações sobre medicamentos, dietas, dicas de uma alimentação ideal e saudável e, para reforçar e deixar ainda mais completo, também traz para a família formas de melhorar a memória de pessoas idosas com diabetes e alguns exercícios que resultam em benefícios para o paciente e seus familiares.

Além dos dados da Organização Mundial da Saúde (OMS), o site também reúne depoimentos com o ator Danton Mello, que é o embaixador do projeto. Vídeos já estão no ar e podem ser vistos nas redes sociais do projeto pelos links @projeto_bom_dia e @bomdiadm2.

Outros serão postados constantemente para oferecer novas informações para, cada vez mais, incentivar um estilo de vida saudável a toda população.

Ser diagnosticado com uma doença crônica como o Diabetes tipo 2, requer cuidados especiais, mudança de hábitos e o entendimento pela pessoa diagnosticada de que terá um papel fundamental na condução da sua própria saúde.

Uma rede de apoio também é muito importante, como orientação médica, ajuda dos familiares e de outras pessoas com experiências similares. Além disso, é preciso que o indivíduo busque informações e converse abertamente com os especialistas sempre que necessário.

A Doença

O Diabetes Mellitus tipo 2 é uma doença que apresenta algum grau de diminuição na produção de insulina, mas o principal problema é uma resistência do organismo à insulina produzida, fazendo com que as células não consigam captar a glicose circulante no sangue. Ela ocorre em cerca de 90% dos casos, é o tipo mais comum.

A doença se manifesta com mais frequência em adultos, mas crianças com problemas de obesidade, sedentários e com histórico familiar, também podem desenvolver, mas o excesso de peso continua sendo o principal fator de risco para o tipo 2.

O modo como o corpo armazena gordura também é relevante. Pessoas com acúmulo de gordura predominantemente na região abdominal apresentam maior risco de desenvolver a enfermidade.

Além da obesidade e do sedentarismo, há outros fatores de risco para a diabetes tipo 2: idade acima de 45 anos, histórico familiar, hipertensão arterial, história prévia de diabetes gestacional, ovário policístico, tabagismo, dieta rica em gorduras saturadas e carboidratos e pobre em vegetais e frutas.

De acordo com o Ministério da Saúde, estima-se que no Brasil, existem mais de 12,5 milhões de Diabéticos tipo 2, e as mortes em decorrência da doença, aumentaram 12% em seis anos.

Tags: diabetes projeto de conscientização
A+ A-