Sávio Hackradt: “O que Fátima precisa é montar uma boa equipe”

Para o jornalista, a governadora eleita já conhece os caminhos de Brasília.

Fátima Elena Albuquerque,
Fladson Soares/Nominuto.com
Hackradt acredita que o fato de Fátima Bezerra ser do PT e ter feito oposição ao presidente eleito Jair Bolsonaro deve ser superado na prática.

Passadas as eleições 2018, que foram marcadas por acirramentos tanto no plano nacional quanto no local, a hora agora é de pensar o futuro do Brasil e também do Rio Grande do Norte. Nesta terça-feira (30), o Diário Oficial do Estado publicou o decreto que normatiza o processo de transição entre o governo Robinson Faria (PSD) e o governo Fátima Bezerra, eleita no último domingo (28).

Em entrevista hoje ao programa RN Acontece, o jornalista Sávio Hackradt disse que a votação expressiva obtida por Fátima Bezerra nesta eleição, ou seja, de mais de um milhão de votos, coloca sob os ombros dela uma grande responsabilidade para com o povo do Rio Grande do Norte.

E apesar de Fátima Bezerra nunca ter ocupado um cargo no Executivo, o jornalista explica que o aprendizado adquirido como parlamentar vai ajudá-la em seu governo. “Todo governador precisa conhecer bem os caminhos de Brasília para negociar os projetos. E isso Fátima conhece, uma vez que foi deputada federal por três mandatos e está no mandato de senadora da República. O que ela precisa é montar uma boa equipe para o seu governo”, afirmou.

SAVIo-H2

O jornalista acredita que o fato de a governadora eleita ser do PT e ter feito oposição ao presidente eleito Jair Bolsonaro não deve representar grandes problemas e poderá ser superado na prática e no exercício governamental. “Da mesma forma que ela é governadora de todo o povo norte-rio-grandense, ele não foi eleito para ser presidente de um partido, mas de todos os brasileiros e dos 26 estados e do Distrito Federal”, destaca.

Em sua análise sobre o cenário político, Sávio Hackradt comentou ainda sobre as alianças de Fátima Bezerra e em uma possível interferência na formação do secretariado. “Ela está com força eleitoral suficiente para não se deixar influenciar. Mas é natural nesse jogo político os partidos irem para cima em busca de indicações. Faz parte da democracia. O problema é que aqui no Brasil isso descambou para o fisiologismo e o lado não muito republicano”, lamenta.


Confira a entrevista:


AMS

Tags: RN Acontece Sávio Hackradt
A+ A-