"Regra que taxa os aposentados é a mais indigesta", diz Sandro Pimentel

Reforma da Previdência local será enviada à Assembleia Legislativa no dia 4 de fevereiro.

Fátima Elena Albuquerque,
Reprodução/TV
Para Sandro Pimentel, é importante que o Executivo intensifique o diálogo o máximo possível com as categorias.

O Governo do Estado pretende encaminhar para a Assembleia Legislativa, no dia 4 de fevereiro, a proposta de reforma da previdência dos servidores públicos estaduais . Um dos pontos polêmicos diz respeito à taxação dos inativos.

Inicialmente, a equipe econômica do governo apresentou uma proposta de cobrar 11% de quem recebe benefícios entre um salário mínimo (R$ 1.045,00) e o teto da Previdência (R$ 6.101,06). Atualmente, esse grupo não é taxado. Entretanto, a governadora Fátima Bezerra já acena com a possibilidade de flexibilização desse percentual.

Para o deputado estadual Sandro Pimentel (PSOL), é importante que o Executivo intensifique o diálogo o máximo possível com as categorias. “Quando o projeto chegar à Asssembleia, vamos nos apoderar do conteúdo. O que sabemos até agora é o que já foi divulgado pela imprensa”, afirmou durante entrevista nesta sexta-feira (24) ao programa RN Acontece.

SANDRO-H

Na segunda-feira (27), do deputado disse que irá solicitar ao governo uma lista com os 100 maiores devedores da Previdência do Estado, com os respectivos valores, bem como que seja informado o que está sendo feito pelo Executivo, além da reforma, para minimizar os custos previdenciários e da máquina do governo.

Na avaliação do deputado, a regra mais indigesta da proposta do governo é a que taxa os aposentados. “Quando se trata dos ativos, de se fazer uma ampliação do desconto previdenciário para os que ganham valores superiores, ou seja, acima de R$ 5,8 mil, não vejo como algo muito duro”, argumentou o deputado.

Com relação à idade mínima, Sandro Pimentel acredita que ela também possa ser modulada. O governo federal fixou 65 anos para os homens e 62 para as mulheres e a governadora Fátima Bezerra tem orientado que a reforma da Previdência local tenha uma exigência mais suave com as mulheres. “Espero que o governo Fátima tenha essa sensibilidade e use a mesma coerência que usou sempre que o PT esteve na oposição, pois, de nossa parte, iremos usá-la”, disse.


Confira a entrevista:


AMS

Tags: reforma da Previdência estadual RN Acontece Sandro Pimentel
A+ A-