Sindicato dos Petroleiros entrega carta aos governadores do Nordeste

Trabalhadores reivindicam uma ação conjunta dos estados nordestinos através do Consórcio Interestadual de Desenvolvimento Sustentável do NE.

Da redação,

Os petroleiros do Rio Grande do Norte, por intermédio do Sindipetro, entregaram nesta segunda-feira (16) aos governadores da região Nordeste uma carta com um apelo para que os gestores debatam alternativas ao desmonte da Petrobras pelo governo Bolsonaro. O presidente da empresa Roberto Castello Branco afirmou recentemente que o objetivo do governo é concentrar os investimentos da estatal nos estados do sudeste do país. Só no Rio Grande do Norte, mais de seis mil empregos estão sob risco.

A carta foi entregue nesta tarde, durante o Fórum dos Governadores do Nordeste, que acontece em Natal.

Confira, na íntegra, a carta que os petroleiros entregaram aos governadores do Nordeste:

“Nós, petroleiros e petroleiras norte-rio-grandenses, representados pelo SINDIPETRO-RN, vimos a público manifestar aos Governadores dos Estados da Região Nordeste, reunidos nesta segunda-feira, 16, em Natal/RN, nossa grande apreensão e profunda insatisfação com as disposições gerenciais que vêm sendo anunciadas pela atual Direção da Petrobras.

Caso sejam concretizadas, tais diretrizes levarão ao encerramento das atividades dessa importante empresa, em todos os estados nordestinos, provocando forte desmobilização e retração da atividade econômica, com graves impactos nos níveis de empregabilidade e nas receitas dos entes federativos de âmbito regional, entre outros danos.

Ao lado do Rio Grande do Norte, encontram-se ameaçados os Estados da Bahia, Sergipe, Alagoas, Pernambuco, Ceará e Maranhão. No rol dos desinvestimentos – eufemismo para encobrir a entrega de ativos estratégicos – encontram-se refinarias, fábricas de fertilizantes, termelétricas, oleodutos, gasodutos e terminais, além de centenas de campos petrolíferos.

A saída da Petrobras de nossa região, porém, não se restringe a essas perdas. Enquanto esteve presente em nosso território, a companhia contribuiu com melhoria da qualidade de vida das populações nas localidades em que atua, mantendo projetos e convênios em diferentes áreas, atuando ao lado de governos, instituições públicas e organizações não governamentais.

A título de exemplo, não são poucos os casos de investimento realizados pela Petrobrás em segmentos de infraestrutura, como estradas e telecomunicações, além do estabelecimento de parcerias em atividades educacionais, científicas, culturais, sociais, de qualificação profissional, esportivas e ambientais, entre outras iniciativas.

Apelo

Naturalmente, como representantes de maiorias que compreendem a importância da indústria do petróleo em suas economias e o papel da Petrobras – enquanto instrumento de fomento ao desenvolvimento e de redução de desigualdades regionais – os governadores do Nordeste não estão alheios ao que vem sendo tramado. Por isso, nós, petroleiros e petroleiras norte-rio-grandenses, lhes fazemos um APELO.

Dentre outros objetivos, o Consórcio Interestadual de Desenvolvimento Sustentável do Nordeste é um mecanismo de colaboração entre os governos que visa à parceria em projetos econômicos de caráter integrador. Nesse sentido, propomos que seja analisada a possibilidade de concertação de uma ação conjunta, destinada a questionar a decisão da atual cúpula da Petrobras e, no limite, viabilizar alternativas econômicas capazes de retomar a produção.

Historicamente, os vultosos recursos investidos pela companhia, ao lado de políticas de compras e de conteúdo local, contribuíram com o processo de crescimento, expansão produtiva e industrialização do Nordeste. Agora, porém, ante a ameaça de transformação da empresa em mera produtora e exportadora de óleo cru, com atividades concentradas em Estados da região Sudeste, corremos o risco de assistir a graves retrocessos, com trágicos resultados para a economia e para o povo nordestino.

Natal/RN, 16 de setembro de 2019

Diretoria Colegiada do SINDIPETRO-RN”

Tags: carta aos governadores Petrobras petroleiros Sindipetro
A+ A-