PMs aceitam proposta do governo para pagamento de salários

Categoria irá receber a folha integral do mês de janeiro no dia 16. Folhas atrasadas seguem indefinidas.

Da redação, ACS,
ACS

Na manhã dessa quinta-feira (10), militares Estaduais reuniram-se no Clube Tiradentes para deliberarem acerca da proposta do governo para o pagamento dos salários atrasados. Na mesa se fizeram presentes os representantes da Associação dos Cabos e Soldados, Associação dos Sargentos e Subtenentes e a Associação dos Inativos, que em primeiro momento trouxeram o relato detalhado de todo o processo de negociação com o governo, destacando que na noite de ontem a última reunião na Governadoria para as tratativas terminou por volta das 22 horas.

Foi explicado que ontem houveram várias assembleias das entidades do interior do Estado e a dos Oficiais na capital onde já tinha sido definido o recebimento do pagamento integral do mês de janeiro no próximo dia 16, quarta-feira, para os servidores da segurança pública, e que os militares da capital haviam elaborado uma contra proposta onde pleiteavam que o mês a ser recebido fosse o de Dezembro, proposta essa que foi levada para a equipe de governo.

Na reunião, a equipe de governo repassou aos representantes a impossibilidade de realizar o pagamento de dezembro, e com isso, por uma questão de transparência e respeitando a soberania da assembleia, os presidentes informaram que estavam trazendo o posicionamento do governo para deliberação da categoria.

Em resumo, o governo assumiu o compromisso de pagamento integral de janeiro (diferente das demais categorias), bem como a continuidade da prioridade no pagamento dos servidores da segurança pública, e que o passivo que existe será quitado com as receitas extraordinárias, a exemplo da liberação da antecipação dos royalties de petróleo de 2019 que foi liberado ontem pelo Judiciário.

Sendo assim, foi deliberado com os presentes se seguiriam o decidido pela demais associações de militares estaduais do interior do Estado e dos Oficiais, de receber o mês de janeiro no próximo dia 16, ou se os presentes estariam dispostos a realizar uma mobilização a parte, tendo os presentes por UNANIMIDADE concordado em, por hora, acatar o decidido pelas demais entidades.

O cabo Roberto, presidente da ACS, ressaltou que o regime de mobilização continua e que o recebimento do salário de dezembro e do 13° salário de 2018 continua sendo prioridade, e que esse direito é inegociável, estando as entidades vigilantes e diligentes diuturnamente nesse propósito.

Tags: ACS atraso de salários
A+ A-