Veja destaca a guinada populista do presidente Michel Temer

Revista ressalta que ele desiste da agenda reformista e decide jogar para a plateia com uma intervenção no RJ.

Da redação,

veja2Veja

A guinada populista de Temer. O presidente desiste da agenda reformista e decide jogar para a plateia com uma intervenção estabanada no Rio de Janeiro.

Meirelles já falou com Jucá sobre possibilidade de ir para o MDB

Encurralado no seu partido, o PSD, Meirelles teve pelo menos uma conversa com Romero Jucá para se filiar ao MDB.  Mas o apetite de Temer deve brecar o movimento.

Filho de Campos vê ‘grandes chances’ de disputar eleição de 2018

Há quatro anos, o engenheiro civil João Campos, então com 20 anos, viu sua vida mudar inteira de uma vez. O pai, o ex-governador de Pernambuco Eduardo Campos (PSB) faleceu em um acidente aéreo durante sua campanha à Presidência da República.

Apontado como herdeiro de uma família que atua diretamente na política do estado há quase três décadas, João se movimenta a passos largos, agora aos 24 anos, para entrar de vez na política em 2018. A ideia é ser o nome que irá liderar os votos do PSB para a Câmara dos Deputados. “Tenho grandes chances de ser candidato a deputado. A definição final será feita com o partido, mas caminhamos para isso”, afirmou ele a VEJA.

Pesquisa: 77% dos acusados por tráfico no RJ não têm antecedentes

Um estudo feito pela Defensoria Pública do Rio de Janeiro e pela Secretaria Nacional de Políticas sobre Drogas, do Ministério da Justiça, divulgado nesta sexta-feira (23) revela que a maioria dos acusados por tráfico de drogas no Estado do Rio de Janeiro não tem antecedentes criminais (77,36%). Foram analisados 2.591 sentenças proferidas entre agosto de 2014 e janeiro de 2016 na capital e região metropolitana do Rio relacionadas aos crimes de tráfico de drogas.

Governo pede extradição de maior traficante brasileiro de armas

Conhecido como 'senhor das armas', Frederik Barbieri é acusado de ter enviado dezenas de fuzis de guerra para o país em 2017.

O Departamento de Recuperação de Ativos e Cooperação Jurídica Internacional, do Ministério da Justiça e Segurança Pública, informou que já apresentou ao governo norte-americano a documentação, porém, houve um pedido de complementação e, no momento, o departamento aguarda o Poder judiciário enviar os papéis solicitados traduzidos para o inglês.

História sobre impeachment de Dilma Rousseff é destaque em Berlim

Depois dos dois Teddy Awards, os brasileiros levaram mais prêmios no 68º Festival de Berlim: ‘O Processo’, de Maria Augusta Ramos, sobre o impeachment da ex-presidente Dilma Rousseff, foi o terceiro mais votado pelo público entre os 20 documentários da mostra paralela Panorama.


CARTACarta capital

Temer vai à guerra. Que propósitos movem o presidente ilegítimo ao decretar a intervenção bélica no Rio? Receamos os piores imagináveis. Mas tudo pode dar errado, para todos.

Interventor do Rio bloqueia investigação de chacina no Salgueiro, diz ONG


O general Walter Souza Braga Netto, nomeado interventor na área de segurança no Rio de Janeiro, está bloqueando as investigações a respeito de uma chacina ocorrida em novembro no Complexo do Salgueiro, em São Gonçalo, região metropolitana do Rio de Janeiro. A acusação é da ONG Human Rights Watch, dedicada a questões de direitos humanos.

"Ministério da Segurança Pública e intervenção são medidas populistas"

Durante o anúncio da intervenção federal no Rio de Janeiro,  o presidente Michel Temer apresentou também a criação do Ministério de Segurança Pública. A expectativa é de que o novo ministério saia do papel por meio de uma medida provisória já nas próximas semanas.

O assunto é tratado pelo governo desde o final de 2017, mas encontrou terreno fértil para a criação da pasta com a intervenção federal. A iniciativa atende ao  pedido da "bancada da bala" no Congresso, que indicou o nome do ex-governador de São Paulo, Fleury Filho - conhecido por autorizar a entrada dos policiais militares no complexo penitenciário do Carandiru, que gerou a execução de pelo menos 111 presos - como nome para a futura pasta.

Sem estatais, como o Brasil se defenderá na próxima crise mundial?

Além de gerar receita insuficiente para resolver o déficit fiscal, a privatização galopante do governo deixará o Brasil vulnerável a novas crises cíclicas da economia mundial desencadeadas por descontroles do setor privado, principalmente do financeiro, caso do colapso de 2008. É o que mostra um relatório de janeiro do Departamento Intersindical de Estatística e Estudos Socioeconômicos (Dieese), instituição de pesquisa mantida pelos sindicatos de trabalhadores.


istoIstoé

"Nunca fomos tão fortes". As mulheres se tornaram a principal força de transformação do mundo atual.

Nunca fomos tão fortes. No último ano, mulheres denunciaram publicamente homens poderosos em casos de assédios. Organizaram manifestações em diferentes países contra o feminicídio e pela manutenção e ampliação de direitos. Criaram redes de apoio para ajudar vítimas de violência doméstica, de agressões e de estupros. Desenvolveram grupos de debate e de apoio mútuo nas redes sociais. Discutiram e condenaram o machismo, o racismo e a homofobia e trouxeram força para a nova onda de um movimento que tem mudado mentalidades, comportamentos e relações. Diante de tamanha mobilização, “feminismo” foi escolhida a palavra de 2017 pelo dicionário americano Merriam-Webster e a busca pelo termo no Google cresceu 200% desde 2016. “Estamos em um momento em que o feminismo se tornou a grande força de enfrentamento não só do machismo, mas que leva adiante a luta anti-racista e pelos direitos das mais diversas minorias políticas”, afirma a filósofa Marcia Tiburi, autora do recém-lançado “Feminismo em Comum” (Rosa dos Tempos).

O desespero de Marina Silva

A campanha presidencial ainda engatinha, mas a pré-candidata da Rede, a ex-senadora Marina Silva, já enfrenta uma série de intempéries na tentativa de viabilizar uma candidatura competitiva. Além do pouco tempo de propaganda no rádio e na televisão, estrutura partidária frágil e menos recursos para financiar a campanha (a Rede deve receber cerca de R$ 10,7 milhões do fundo eleitoral – é apenas o 22º valor entre os 35 partidos registrados no TSE), Marina Silva agora tem outra barreira para superar: a iminente desfiliação de dois deputados federais da Rede, Alessandro Molon (RJ) e Aliel Machado (PR), o que irá deixá-la de fora dos debates eleitorais na TV.

Uma alternativa liberal

Empresário bem sucedido e dono de uma fortuna de US$ 1,3 bilhão (R$ 4,1 bilhões), Flávio Rocha não teme ser rotulado como representante da direita. Pelo contrário. A bordo de um jatinho particular, ele acredita estar em sintonia com o espírito do tempo, que exige um Estado mínimo e práticas mais próximas das conservadoras, em contraposição ao marxismo cultural e ao politicamente correto impostos por setores da esquerda. Munido dessa convicção, Rocha tem rodado o País para divulgar suas ideias “liberais na economia e de direita nos costumes”, como ele mesmo define, no contexto de um projeto que pretende influir nas eleições presidenciais deste ano, o chamado “Brasil 200”. Ele assegura que não é candidato ao Planalto, ao menos agora, mas é evidente que, se suas propostas ganharem aderência, esse pode se tornar um caminho natural. Em entrevista à ISTOÉ, Rocha, que não é filiado a nenhum partido político, reconheceu que enxerga o movimento Brasil 200 como o embrião de uma futura candidatura. Em 2022. “Até lá já estarei com 65 anos, aposentado da Riachuelo, e com mais tempo para tocar uma campanha. O Fernando Henrique Cardoso até colocou meu nome e fui citado entre três outsiders que podem surgir como presidenciáveis para este ano. Mas, se eu for candidato agora, isso vai inviabilizar o Brasil 200”, pondera.

O tesouro de Paulo Preto

O senador tucano José Serra entrou definitivamente na alça de mira da Lava Jato. Na última semana, veio a público um compartilhamento de informações do Ministério Público da Suíça com integrantes do MP paulista sobre uma offshore panamenha, cujo beneficiário é o ex-diretor da Dersa, Paulo Vieira de Souza, o Paulo Preto, que chegou a ter 35 milhões de francos (R$ 113 milhões) em quatro contas em bancos suíços em julho de 2016. Em dezembro, Paulo Preto, operador do PSDB revelado por ISTOÉ em 2010, foi incluído como investigado em um inquérito que tramita no Supremo Tribunal Federal para apurar supostos crimes cometidos por Serra, entre os quais o desvio de recursos nas obras do Rodoanel Sul, em São Paulo, para campanhas do tucano.


epoÉpoca

Rico, Político e ainda impune. Após nove anos, vai a júri popular caso de deputado do Paraná que matou jovens ao dirigir alcoolizado.

Eram cerca de 20 horas do dia 6 de maio de 2009, quando o então deputado estadual Luiz Fernando Carli Filho, de 26 anos, eleito pelo PSB do Paraná, chegou ao Edvino Wine Bar, no bairro do Batel, em Curitiba, onde jantaria com três primos e o tio – o também parlamentar Plauto Miró, do DEM. Bonito, rico, de família tradicional de políticos no estado, ele colhia os louros de seu primeiro mandato na Assembleia Legislativa, onde havia pouco tempo apresentara um projeto para dar desconto no IPVA a motoristas exemplares, que não tivessem multas ou infrações na carteira. A turma pediu nhoque, risoto e filé-mignon ao funghi e um vinho chileno. Conversaram, riram e decidiram ir para casa cedo.

Sete dias de intervenção do Exército no maior complexo de favelas do Rio, a Maré

O  presidente Michel Temer se reunia com políticos e militares para discutir a intervenção federal no Rio de Janeiro, na noite de quinta-feira, no momento em que a Vila do Pinheiro, uma das 16 favelas do Complexo da Maré, a 1.200 quilômetros de distância, ficou às escuras e sem sinal de internet. A intervenção que prevalecia no complexo, espremido entre a Linha Vermelha e a Avenida Brasil, era das forças da natureza. A tempestade transformou as ruas da Maré em rios de lama – o que fez antigos moradores se lembrarem do tempo em que viviam em palafitas sobre o imenso manguezal.

A vida de Maluf na cadeia

O bilionário Joesley Batista sentiu pena de Paulo Maluf quando o viu chegar à carceragem da Polícia Federal em São Paulo, no dia 20 de dezembro. Escorado em três advogados e uma bengala, o deputado federal do PP havia se entregado por volta das 9h da manhã. Ele obedecia a um mandado expedido pelo Supremo Tribunal Federal por conta de uma condenação a sete anos e nove meses de prisão por lavagem de dinheiro. Maluf estava duramente abatido. Veteranos de cadeia, Joesley e seu irmão Wesley se voluntariaram para ajudar o novo companheiro de cárcere. Fizeram a limpeza da cela do doutor Paulo e se escalaram para passar a noite com ele, receosos de que o parlamentar de 86 anos passasse mal. Conversaram sobre amenidades e tentaram distraí-lo o máximo possível.

Imóveis de José Dirceu confiscados na Lava Jato e avaliados em R$ 11 milhões vão a leilão

O juiz Sergio Moro determinou que sejam leiloados imóveis do ex-ministro José Dirceu confiscados na Lava Jato. A oferta pública inclui bens avaliados em R$ 11 milhões. O leilão ocorrerá no dia 26 de abril. Os lances poderão ser feitos pela internet, no endereço eletrônico de empresa responsável pela venda. Quem arrematá-los terá até 72 horas para quitar o valor. O que for arrecadado será depositado em conta vinculada à Justiça Federal. Moro observou no edital que não existem restrições judiciais sobre a venda.

Tags: Carta Capital revistas veja
A+ A-