Istoé destaca novo tom da justiça que não se curva aos interesses políticos

Com a ministra Cármen Lúcia à frente, o STF mantém o entendimento da prisão após a condenação em segunda instância.

Da redação,

Istoé

istooO novo tom da justiça. Com a presidente Cármen Lúcia à frente, o STF mantém o entendimento da prisão após a condenação em segunda instância e confere novo tom a uma Justiça que não se curva aos interesses políticos.

Eles já não deveriam estar presos?

A gritaria petista há tempos ultrapassa os limites da legalidade. Com a derrota do recurso contra a condenação de Lula, ganharam volume e intensidade as ameaças e incitações públicas à desobediência civil e descumprimento das leis. O objetivo primeiro é pressionar e constranger os ministros dos tribunais superiores para que o ex-presidente tenha a inscrição de sua candidatura aceita na Justiça Eleitoral, mesmo após a confirmação de sua condenação em segunda instância. O próprio Lula afirma publicamente não reconhecer o veredito do TRF-4, para o regozijo da claque petista. “Nós vivemos um momento de uma ditadura de uma parcela do Poder Judiciário, sobretudo o Poder Judiciário que cuida de uma coisa chamada Operação Lava Jato”, afirmou em vídeo gravado para participantes de uma conferência da União Africana e das Nações Unidas, na Etiópia, para onde viajaria antes de ter seu passaporte confiscado por ordem da Justiça. Um dia após a derrota de seu recurso, em reunião da Executiva Nacional do PT, Lula fez de conta que a Lei da Ficha Limpa não existe e lançou sua pré-candidatura: “Esse ser humano simpático que está falando com vocês não tem nenhuma razão para respeitar a decisão de ontem”.

Temer enfrenta os adversários

Desde que assumiu o governo, em maio de 2016, o presidente Michel Temer concentrou todos os esforços na agenda das reformas, como a Trabalhista e a Previdenciária. Agora, depois do tempo de sacrifício, vem a fase de exibir as conquistas de sua gestão. Temer concluiu que chegou a hora de ir pra rua, manter contato mais próximo com as pessoas e se comunicar mais (e melhor) com a população – até como forma de mudar a imagem e a percepção da sociedade sobre seu governo.

Diante das realizações e do cenário alvissareiro, Temer se dá ao luxo de convocar a oposição para o enfrentamento político. Durante uma cerimônia em Rio Verde, Goiás, o presidente desafiou seus opositores a criticarem ações do governo ao longo da campanha eleitoral deste ano. “Quem quiser opor-se ao que o governo fez ao longo de um ano e oito meses vai ter que dizer o seguinte: ‘Olha aqui, eu sou contra o teto dos gastos público porque eu quero gastar à vontade’”, afirmou. No mesmo discurso, Temer também instigou seus adversários a se posicionarem publicamente contra as reformas trabalhistas e do ensino médio: “Quem quiser se opor ao governo terá que dizer: ‘Sou contra a reforma do ensino médio, porque quero um ensino médio anacrônico e superado’. Ou também terá que dizer: ‘Sou contra a modernização trabalhista, cujo objetivo é trazer empregos ao País’”.

Os donos do cofre eleitoral

Não são empreiteiros, nem empresários. Mesmo assim, a eles podem ser conferidos um peso importante, senão decisivo, – a julgar pelo embolado cenário atual –, nas eleições de outubro. Trata-se dos presidentes de partidos políticos menores – ou nanicos. Nas mãos deles, estarão as chaves do cofre de um naco considerável do bilionário Fundo Especial de Financiamento da Campanha, ou apenas Fundo Eleitoral, principal fonte de ajuda financeira aos candidatos das 35 legendas inscritas no TSE. Um total de R$ 1,7 bilhão deve ser depositado pela União no dia 1º de junho, mas a distribuição da quantia já causa espécie. Pelas regras atuais, os partidos nanicos, sem maior representatividade no Congresso Nacional, serão os grandes beneficiados por morder milhões de reais sem ter obtido votações relevantes no pleito de 2014.

Matrimônio atrás das grades

Um dos principais envolvidos no esquema de pagamento a parlamentares pelo governo petista que ficou conhecido como mensalão, o publicitário e empresário Marcos Valério Fernandes de Souza, de 57 anos, se casou na sexta-feira 26 com a baiana Aline Couto Chaves, de 25 anos. A cerimônia foi realizada em um cartório de Sete Lagoas, município de Minas Gerais em que Valério cumpre pena na Associação de Proteção e Assistência aos Condenados (Apac). O casal mantém um relacionamento desde 2013. Na ocasião, o publicitário já havia se separado, embora não oficialmente, da primeira mulher, Renilda Fernandes, de quem se divorciou em outubro de 2016. Inicialmente marcado para dezembro daquele ano, o matrimônio precisou ser adiado até que o noivo estivesse em um cárcere de melhores condições para a cerimônia. Desde 2014, quando foi preso, Marcos Valério cumpria pena na Penitenciária de Segurança Máxima Nelson Hungria, em Contagem, Minas Gerais. Em julho de 2017, foi transferido para a Apac de Sete Lagoas, onde não precisa usar uniforme de presidiário.


Veja

vejaAssassinato na Lava Jato. A misteriosa execução do ex-vice-prefeito baiano que delatou seus comparsas no escândalo da Petrobras.

MPF investiga Cristiane Brasil por associação ao tráfico

A deputada federal (PTB-RJ), filha de Roberto Jefferson que foi nomeada por Michel Temer para o Ministério do Trabalho, mas teve a posse suspensa por denúncia de trabalho escravo, é alvo de um inquérito que apura suspeitas de tráfico de drogas e associação para o tráfico durante a campanha eleitoral de 2010. A investigação foi enviada nesta sexta-feira à Procuradoria-Geral da República, em Brasília, já que Cristiane possui foro privilegiado. A investigação teve início na Polícia Civil, que recebeu denúncias por e-mail, encaminhadas à ouvidoria da corporação.

Alvo da Lava Jato foragido em Portugal é preso

Acusado de intermediar o pagamento de propinas no esquema de corrupção na Petrobras, o empresário Raul Schmidt foi preso neste sábado na cidade portuguesa de Sabugal, a cerca de 320 quilômetros de Lisboa. Segundo a Polícia Federal (PF), ele foi localizado por meio de uma cooperação entre a Adidância da PF em Portugal, o Ministério Público Federal (MPF), a Interpol e autoridades portuguesas.

Mulher de Moro critica reportagens sobre auxílio-moradia ao juiz

Mulher do juiz federal Sergio Moro, responsável pela Operação Lava Jato em Curitiba, a advogada Rosangela Wolff Moro criticou nesta sexta-feira a imprensa por publicar reportagens que informam que Moro, mesmo sendo dono de um imóvel próprio em Curitiba, recebe auxílio-moradia no valor de 4.377,73 reais.

Em seu perfil no Instagram, Rosangela publicou uma foto de um cacho de bananas sobre um exemplar amassado da Folha de S. Paulo, que revelou o recebimento do benefício pelo magistrado nesta sexta-feira. “Imprensa…. para o bem e para o mal. Separam o joio do trigo e publicam o joio”, atacou a advogada.

Trump se diz livre de suspeitas sobre Rússia após memorando

O presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, afirmou neste sábado, em sua conta no Twitter, que está livre de suspeitas após a divulgação de um memorando do Congresso segundo o qual o FBI abusou de seus poderes de vigilância durante a investigação sobre possível interferência russa na eleição norte-americana em 2016, vencida por Trump. Assinado pelo presidente do Comitê de Inteligência da Câmara, o republicano Devin Nunes, da Califórnia, o memorando, contudo, também inclui revelações que podem complicar os esforços do presidente e de seus aliados para minar o inquérito.


Época

epocaA rotina do maior acampamento de sem-teto do Brasil. Como se organiza a ocupação onde vivem 230 pessoas – e não 8 mil famílias – lideradas pelo maior expoente da esquerda pós-PT.

TRF4 foi mais severo com Lula do que em outros 154 casos similares

Logo que saiu a decisão do  Tribunal Regional Federal da 4a Região (TRF4) sobre a condenação de Luiz Inácio Lula da Silva, Gleisi Hoffmann, presidente do PT, apressou-se a disparar nota para afirmar que o partido “não se renderá diante da injustiça”.  Sem entrar no mérito da decisão, até porque frequentemente  discursos inflamados não condizem com fatos, pelo menos em um ponto a petista não está de todo errada: as circunstâncias do julgamento do ex-presidente não foram as mesmas encaradas por outros réus da Operação Lava Jato.

Partidos assediam ex-ministro que denunciou pressão de Geddel

Ex-ministro da Cultura, Marcelo Calero tem sido assediado por vários partidos políticos. O PPS, por exemplo, ofereceu a ele a presidência do diretório do Rio de Janeiro. Ele, que será candidato a deputado federal, ficou de pensar.

Temer quer definir se será candidato à reeleição até o fim de março

Apesar de contemporizar com a rejeição de 70% apontada em pesquisa, o presidente Michel Temer não esperava um resultado tão ruim. Diante desse cenário, estipulou o fim do mês de março como data-limite para definir se tentará um novo mandato. Até lá, espera que os números lhe sejam mais favoráveis.

O Rio refém do crime

A  segurança pública no Rio de Janeiro continua andando de marcha a ré em velocidade acelerada. Dessa vez, o palco do retrocesso foi uma das principais vias expressas da cidade, a Linha Amarela. Duas vezes, nos dias 31 de janeiro e 1º de fevereiro, tiroteios intensos tomaram as pistas, apavorando moradores do entorno e motoristas. A Linha Amarela foi interditada nos dois dias várias vezes. Em alguns dos casos, a circulação dos carros foi impedida por duas horas nos dois sentidos. Isso tudo durante os períodos de pico no trânsito da manhã. A via é essencial para conectar a Zona Oeste com o centro e a Zona Norte do Rio. Além de gerar congestionamentos em toda a cidade, os tiroteios na Linha Amarela representam a volta do pesadelo que os cariocas viveram por três décadas, no auge do crime organizado na cidade, até o início da pacificação em 2008.


Carta Capital

ccQuais as chances de a reforma da Previdência ser aprovada?

O governo insiste em votar a proposta em fevereiro, mas analistas acreditam que o tema, altamente impopular entre os brasileiros, deve provavelmente ficar para o próximo presidente.

Se cumpridas promessas de Serra e Alckmin, Metrô-SP teria 46 estações a mais hoje

As escolhas profissionais de Pamela Kaline são baseadas na disponibilidade de transporte público da região onde vive. Moradora de Cidade Tiradentes, no extremo leste da cidade de São Paulo, a pedagoga trabalha como gerente do restaurante McDonald's do Shopping Aricanduva, o mais próximo de sua residência. O percurso, feito pelo ônibus do Terminal Cidade Tiradentes até o shopping, demora cerca de duas horas, além de sempre estar lotado.

A planilha que complica Temer e a PF ressuscitou

“Não vou admitir mais que se diga impunemente que o presidente é, se me permite a expressão, entre aspas, trambiqueiro, que fez falcatruas.” Será que a pretensão de Michel Temer, proclamada em uma rádio na segunda-feira 29, resiste ao passado do peemedebista? A julgar por um novo relatório da Polícia Federal (PF), não. 

O documento, de 15 de dezembro, propõe quebrar os sigilos bancário, fiscal e telefônico de Temer e foi usado por um delegado, Cleyber Malta Lopes, para pedir mais prazo para concluir investigações contra o presidente em um inquérito em curso no Supremo Tribunal Federal (STF). 

Moro também recebe auxílio-moradia mesmo sendo dono de imóvel, diz jornal

O juiz Sérgio Moro, responsável pela Operação Lava Jato na 13ª Vara Federal de Curitiba, também integra a lista de membros do Judiciário que participa da farra do auxílio-moradia aberta pelo Supremo Tribunal Federal (STF) em 2014. Conforme reportagem do jornal Folha de S.Paulo, publicada nesta sexta-feira 2, o magistrado recebe, desde 2014, o valor de 4.378 reais como auxílio-moradia mesmo tendo apartamento próprio na capital paranaense.

Até 2014, só recebiam auxílio-moradia alguns juízes estaduais e os ministros de tribunais superiores. Naquele ano, associações de classe foram ao Supremo para conseguir a extensão do benefício, alegando disparidade de tratamento.

Tags: Carta Capital Época Istoé revistas Veja
A+ A-