'Bolsonaro: Porque não te calas?', revista Istoé alfineta presidente da República

Edição desta semana diz que 'exibicionismo' é um problema para o atual chefe do Palácio do Planalto.

Da redação,

istoeIstoé

Bolsonaro: Por que não te calas?

Jair Bolsonaro tem o direito de aparar o cabelo no estilo que melhor lhe aprouver, e se o fato de exibir-se em redes sociais durante o corte das madeixas lhe dá satisfação, também isso é direito seu – digamos, apenas, que não é lá de muito bom-tom. Mas vale, aqui, um alerta: atos como esse tendem a desaguar em um perigoso populismo, já visto em nossa República, que abre brecha para o autoritarismo, em nada ajudando a pacificar o País e fazê-lo andar para frente.

O exibicionismo é problema dele e o vê nas redes sociais somente quem quiser. Da mesma forma, Bolsonaro pode falar o que lhe vier à cabeça ou à linguá dentro de sua casa, em um churrasco com amigos e parentes ou assistindo ao futebol de chinelos, camisa de clube e calça moletom. O que ele não pode fazer, em hipótese alguma, é seguir a matraquear, de forma irresponsável e em todas a direções, sobre assuntos que envolvem o Estado.

Leia mais em www.istoe.com.br


vejaVeja

Fuga de uma ditadura: a saga dos venezuelanos no Brasil

Na chuvosa manhã do último sábado, 20, um Hércules C-130 da Força Aérea Brasileira (FAB) fez valer seus quatro motores para levantar voo de Boa Vista, em Roraima, rumo a Florianópolis, distante 5 000 quilômetros. Desenvolvida em 1951 nos EUA, a aeronave foi projetada para atender a fins militares. No entanto, a decolagem naquele dia de pista molhada nada tinha a ver com guerra. A missão era de paz: levar 63 refugiados venezuelanos, entre eles vinte crianças, para Santa Catarina, onde passariam a residir com familiares ou em abrigos.

Um dos passageiros era Carlos Montaño, de 28 anos: “Estou com medo por ser a primeira vez que voo. E por não ter ideia do que nos espera”, admitiu ele. Carlos, a mulher, o filho e outros quatro parentes haviam vivido dois meses na rodoviária de Boa Vista, até serem atraídos pela Operação Acolhida, capitaneada pelas Forças Armadas desde março de 2018, junto a órgãos do governo federal e agências da ONU, com o objetivo de providenciar moradia, alimentação e trabalho aos que fogem da ditadura de Nicolás Maduro — e da miséria que atinge 90% da população da Venezuela.

Leia mais em www.veja.com.br


cartaCarta Capital

O inimigo Paraíba

A capa desta semana da revista Carca Capital destaca o governador do Maranhão, Flávio Dino (PCdoB), como o inimigo ‘Paraíba’ do governo Bolsonaro.

Segundo a publicação, o gestor mostra a brutal diferença entre o Nordeste civilizado, consciente e o centro do poder. 

A edição traz também o massacre no presídio de Altamira, as medidas do ministro Paulo Gudes e colunas de Delfim Neto, Mino Carta, etc.


Leia mais em www.cartacapital.com.br


epocaÉpoca

Veneno remédio

A reportagem de capa da edição de ÉPOCA que chegou às bancas nesta sexta-feira (2) traz matéria sobre o que está por trás da política pró-agrotóxicos do governo Jair Bolsonaro.

Leia também sobre o que acontece quando a pauta bolsonarista chega à Suprema Corte, em texto de Conrado Hübner Mendes; descubra os bastidores do choque de cultura da nova gestão do BNEDS; conheça a história de Zigurats, uma comunidade do Mato Grosso do Sul que contesta a ciência e espera pelo Apocalipse. Essas e outras reportagens também estão disponíveis para assinantes no site da revista.

Leia em www.epoca.globo.com

Tags: Revistas semanais
A+ A-