‘Nunca tratei com Palocci de doação para campanha’, diz Fátima

Governadora disse que ex-ministro está mentindo e nega ter sido beneficiária de esquema fraudulento.

Flávio Oliveira,
Gerlane Lima
Governadora Fátima Bezerra afirmou que as acusações do ex-ministro Antônio Palocci sobre esquema de propina são caluniosas e levianas.

A governadora Fátima Bezerra (PT) disse que o ex-ministro o ex-ministro da Fazenda e Casa Civil, Antônio Palocci, mentiu ao citá-la como beneficiária em um esquema fraudulento de distribuição de verbas da empresa Camargo Corrêa para sua campanha do ano de 2010. A declaração foi dita para o jornalista Diógenes Dantas, no Jornal 96, nesta sexta-feira (6).

“É só olhar a minha prestação de contas. Primeiro ele fala de 2010, para deputado federal. Não consta lá na minha prestação de contas contribuição dessa empresa que ele mencionou. Segundo, o mais importante, é que eu nunca tratei com Palocci de doação para campanha”, declarou Fátima.

A chefe do Executivo considerou a delação do ex-aliado como uma ‘leviandade’ e argumentou que nunca tratou do assunto com Palocci. “Claro que ele está mentindo. Mentindo de forma descarada. Uma leviandade isso. Nunca tratei desse assunto com ele, nem ninguém que cuida da coordenação das minhas campanhas, inclusive no que diz respeito da questão de prestação de contas”, defendeu-se.

Fátima afirmou ainda que está tranquila quanto ao risco da delação à Polícia Federal resultar em algum desdobramento contra ela na Justiça. “Não temo nada. Simplesmente estou colocando para você, eu nunca tratei assuntos de financiamentos de campanha com o ex-ministro Palocci. Nem eu, nem ninguém da coordenação da nossa campanha. As nossas contas são claríssimas, transparentes, aprovadas pelo Tribunal de Contas, pelo Tribunal eleitoral do nosso estado”, disse.

“A nossa história sempre foi muito transparente. O Rio Grande do Norte sabe que eu tenho uma vida pautada pela honradez, pela dignidade, sempre fiz política com seriedade. Essa é minha história de vida. Isso não passa de uma leviandade, de uma calúnia”, comentou a governadora.

fatima2-h

A citação

Em matéria publicada pela revista Crusoé, que teria tido acesso ao conteúdo da delação, Palocci admitiu ser o responsável pela distribuição de dinheiro valores entregues pela empreiteira Camargo Corrêa para bancar parte das campanhas eleitorais do PT nas eleições gerais de 2010.

A atual presidente nacional do Partido dos Trabalhadores (PT), Gleisi Hoffmann, também foi incluída na delação do ex-ministro. Naquele ano, Gleisi Hoffmann disputou e venceu a eleição do Senado Federal, enquanto Fátima conseguiu a reeleição para a vaga de deputada federal.

O ex-ministro afirmou ainda à Polícia Federal que tanto a presidente nacional do PT quanto Fátima Bezerra sabiam que o dinheiro era oriundo de propinas pagas pela Camargo Corrêa. Esses recursos, segundo Antonio Palocci, teriam sido direcionados a vários candidatos do partido. Ele também disse que Gleisi Hoffmann recebeu doações extraoficiais da OAS no valor de R$ 800 mil.


Confira a entrevista:


Tags: Antônio Palocci Fátima Bezerra Lava Jato PT
A+ A-