Garibaldi e Simon são os candidatos do PMDB com maior destaque nacional

Outros três nomes que disputam a preferência do partido aparecem como "coadjuvantes" no Senado.

Júlio Pinheiro,
Cedidas/Agência Senado
Além de Garibaldi, quatro senadores querem ser os indicados do PMDB.
Cinco dos 20 senadores do PMDB disputam o direito de representar o partido na eleição para a presidência do Senado, agendada para a próxima quarta-feira (12). Além do senador Garibaldi Alves Filho, outros postulantes menos conhecidos no Estado também aguardam a decisão do partido, que sairá na terça-feira (11).

O senador Neuto de Conto (SC) é um dos adversários de Garibaldi na disputa interna do PMDB. Em seu primeiro mandato como senador, Conto já foi deputado federal três vezes, mas não tem um grande destaque no cenário nacional. Paralelamente às atividades legislativas, o senador é agropecuarista e industrial.

Por outro lado, concorre o senador Valter Pereira (MS). Bisneto do fundador do Mato Grosso do Sul, Pereira tem uma forte atuação em defesa das causas ambientais. Advogado por formação, Valter Pereira já foi deputado federal por três mandatos, mas chegou ao Senado por ser o suplente do senador Ramez Tebet, que faleceu em 2006. Também não é um candidato que goze de grande visibilidade no Congresso.

Cedida/Agência Senado
Pedro Simon: um dos parlamentares mais respeitados do país está na disputa com Garibaldi.

O senador Leomar Quintanilha (TO), que também disputa a preferência dentro do PMDB, não aparecia como um dos nomes mais cotados do partido para disputar no cargo. No entanto, na reunião da última quinta-feira (6), lançou-se, também. Quintanilha, que é formado em Direito e tem atividades ligadas à agropecuária, está em seu segundo mandato como senador, já tendo ocupado uma cadeira na Câmara Federal por duas outras oportunidades.

O senador Pedro Simon (RS), que foi o último a ingressar na disputa interna do PMDB, é o candidato com o currículo político mais conceituado. Assim como Garibaldi, Simon também já foi governador de seu Estado, o Rio Grande do Sul. O parlamentar está em seu quarto mandato como senador, além de ter ocupado o Ministério da Agricultura por dois anos (1985-1986). Pedro Simon é o candidato favorito de grande parte da oposição do Senado – fato que pode pesar contra o candidato na disputa interna do PMDB, que compõe a base aliada ao presidente Lula.

Segundo a imprensa nacional, Garibaldi é o candidato que menos restrições enfrenta, tanto no partido quanto fora dele. O ex-governador potiguar, que está em seu segundo mandato no Senado, ganhou grande visibilidade nacional quando foi o relator da CPI dos Bingos. O apoio do líder do Democratas na Casa, José Agripino, também é um ponto que pesa favoravelmente ao senador potiguar.

A decisão sobre quem será o candidato do PMDB ocorre na manhã da terça-feira (11), véspera da eleição do Senado.
A+ A-