Eduardo quer Hezbollah como "grupo terrorista"

Aliado do Irã, grupo militante libanês armado é também um partido político e uma organização social.

Da redação, Estadão Conteúdo,
Ueslei Marcelino/Reuters
Deputado federal Eduardo Bolsonaro é postulante ao cargo de embaixador do Brasil em Washington, nos Estados Unidos.

Partido de Deus em árabe, o Hezbollah é a mais nova demanda do deputado Eduardo Bolsonaro, postulante ao cargo de embaixador do Brasil em Washington (EUA). “Desconheço argumentos plausíveis que justifiquem considerar o grupo terrorista Hezbollah como partido político”, escreveu o parlamentar no Twitter.

Aliado do Irã, o Hezbollah é um grupo militante libanês armado, mas também um partido político e uma organização social. Rússia e China o consideram partido, e a Alemanha reconhece os braços político e social do grupo, mas não a ala armada, considerada como grupo terrorista.

Da América Latina, a Argentina e Paraguai consideram o Hezbollah uma organização terrorista. O presidente Jair Bolsonaro tem viagem prevista para os Emirados Árabes e Arábia Saudita, em outubro.

Tags: Eduardo Bolsonaro grupo terrorista Hezbollah
A+ A-