Brasil condena ataques a instalações petrolíferas na Arábia Saudita

Em comunicado, Itamaraty se solidariza com a Arabia Saudita e manifesta confiança nas autoridades sauditas para controlar danos causados.

Da redação , Agência Brasil ,
O governo brasileiro considerou positiva a decisão da Arábia Saudita de convidar peritos internacionais para investigar o ataque a duas instalações petrolíferas da Saudi Aramco em Abqaiq e em Khurais, no último sábado (14). Com os ataques, o país chegou a anunciar a suspensão de metade da produção de petróleo.

De acordo com nota divulgada pelo Ministério das Relações Exteriores, o Brasil "congratula o governo saudita pela decisão de convidar peritos internacionais, ao amparo do Conselho de Segurança das Nações Unidas, para participar das investigações."

No comunicado, o Itamaraty diz que o Brasil condena os ataques que "comprometeram seriamente o fornecimento internacional de petróleo". "O Brasil se solidariza com a Arábia Saudita e manifesta confiança na capacidade das autoridades daquele país em controlar os danos causados pelos ataques, bem como no pronto reparo das instalações", destaca a nota.

Ontem (18), a Arábia Saudita mostrou destroços que, segundo autoridades do país, são de mísseis de cruzeiro e drones utilizados no ataque de sábado a suas instalações de petróleo. O porta-voz do ministério da Defesa saudita, Turki al-Malki, declarou à imprensa que os destroços eram evidências inegáveis de agressão iraniana. O Irã nega as acusações. Rebeldes houthi do Iêmen assumiram a autoria dos ataques.

A troca de acusações elevou a tensão na região. Em razão dos atritos entre os dois países, a Organização das Nações Unidas (ONU) decidiu enviar peritos internacionais para investigar os ataques.

Tags: Mundo
A+ A-