Assessoria de Fátima Bezerra rebate, em nota, declarações prestadas por Palocci à PF

Ex-ministro citou a governadora e a presidente nacional do PT, Gleisi Hoffmann como beneficiárias de propinas da empresa Camargo Corrêa.

Da redação,
Elisa Elsie/Assecom-RN
Fátima Bezerra foi citada em delação premiada de Antônio Palocci como uma das beneficiárias de propinas da empresa Camargo Corrêa.

Em nota divulgada na tarde desta segunda-feira (2), a assessoria de comunicação da governadora Fátima Bezerra rebateu as informações prestadas pelo ex-ministro da Fazenda da Casa Civil, Antônio Palocci, em delação fechada com Polícia Federal, a qual a revista Crusoé teria tido acesso.

Antônio Palocci citou, na delação que a presidente nacional do Partido dos Trabalhadores (PT), Gleisi Hoffmann, e a governadora Fátima Bezerra como beneficiárias de esquemas fraudulentos de distribuição de verbas para campanhas eleitorais da legenda.

O ex-ministro admitiu ser o responsável pela distribuição de valores entregues pela empreiteira Camargo Corrêa para bancar parte das campanhas eleitorais do PT nas eleições gerais de 2010.

Segundo a nota, a empresa Camargo Corrêa não fez doação à campanha da então candidata a deputada federal em 2010, Fátima Bezerra, conforme registrado no site do Tribunal Superior Eleitoral (TSE) e ressaltou que as contas foram" devidamente aprovadas".

"No endereço encurtador.com.br/glxE8 constam os registros de todas as pessoas físicas e jurídicas que doaram à campanha da então candidata em 2010, o que comprova que não há qualquer menção à referida empresa", diz a nota. E acrescenta: "Fátima Bezerra e sua coordenação de campanha jamais trataram com a Camargo Corrêa e com Antônio Palocci, sobre a campanha de 2010 ou qualquer outra, e esperam que as informações sejam devidamente apuradas e esclarecidas", finaliza.

Tags: Antônio Palocci delação premiada Fátima Bezerra recebimento de propinas
A+ A-