Presos destroem carceragem da delegacia de Ceará-Mirim

Revoltados com as condições subumanas da carceragem, os 51 presos quebram paredes e grades das três celas. Eles tiveram que ser transferidos para presídios.

Thyago Macedo,
Um total de 51 presos amontoados em três celas da carceragem da delegacia de Ceará-Mirim resultou em uma rebelião e na destruição de parte da estrutura da unidade policial nesta sexta-feira (19). De acordo com um agente da Polícia Civil, por volta das 9h os presos iniciaram o quebra-quebra que se estendeu até as 19h30, quando eles foram transferidos. Essa foi a segunda tentativa de fuga em massa em menos de uma semana no Estado.

Revoltados com as condições subumanas da carceragem, os presos quebram paredes e grades das três celas, de forma que a permanência deles na delegacia ficou impossível. Apesar do quebra-quebra, a Polícia Militar junto com os agentes, conseguiu cercar o local e impedir uma fuga em massa.

Após a rebelião, a Diretoria de Polícia da Grande Natal (Dpgran) providenciou a transferência dos presos. De acordo com a delegada Margareth de Brito Gondim, titular da Dpgran, 46 presos foram levados para o pavilhão provisório da Penitenciária Estadual de Alcaçuz, em Nísia Floresta.

Os demais presos foram transferidos para o Presídio Provisório Professor Raimundo Nonato Fernandes, na zona Norte de Natal. A delegada Margareth Gondim destacou que por enquanto a delegacia de Ceará-Mirim não tem condições de alojar mais ninguém.

“A Diretoria de Polícia da Grande Natal vai providenciar a reforma da estrutura da delegacia e, em seguida, parte deles terão que retornar, pois nos presídios também não tem vaga”, destacou a titular da Dpgran.

De acordo com Margareth Gondim, apesar disso, pelo menos 27 presos vão permanecer na penitenciária de Alcaçuz. “O ideal seria que nenhum preso retornasse para a delegacia, até porque existe uma determinação judicial que impede isso. No entanto, os presídios também não têm mais vagas”, ressaltou.

Em uma semana, esta é a segunda tentativa de fuga em massa registrada na grande Natal. Na terça-feira (15), os agentes penitenciários descobriram um plano de fuga em Alcaçuz, presídio de maior segurança do Rio Grande do Norte. Pelo menos 100 presos pretendiam escapar da unidade, em um plano que custaria de R$ 120 mil a R$ 150 mil.
A+ A-