Policiais civis entram em acordo com governo e novamente encerram greve

Categoria aceita proposta para elaboração de um projeto de Lei que será encaminhado à Assembleia Legislativa.

Da redação, Sinpol,
Divulgação/Sinpol
Policiais civis se reuniram novamente em assembleia na tarde desta sexta-feira, após reunião do Sinpol com o governo.

Os policiais civis deliberaram, na tarde desta sexta-feira (8), por encerrar a 'Operação Zero' deflagrada no início da manhã. A categoria aceitou a última proposta apresentada pelo Governo do Estado durante reunião com o Sindicato dos Policiais Civis (Sinpol), no início da tarde. Com a deliberação pelo encerramento da greve, as delegacias voltam ao funcionamento normal.

De acordo com o Sinpol, o governo apresentou uma proposta que vai atender ao pleito de reestruturação da carreira dos agentes e escrivães, aplicar as promoções que estão em atraso, bem como outros pontos da pauta de reivindicações.


A governadora Fátima Bezerra reiterou o constante diálogo que o Governo mantém com a categoria nessa negociação, assim como o compromisso de valorizar a Segurança Pública, ressaltando a importância de manter o objetivo de buscar o equilíbrio das finanças do Estado, compromisso maior da gestão para com a sociedade. “Sempre estamos abertos ao diálogo, essa é uma marca do nosso governo. E dentro da legalidade, vamos sempre buscar um entendimento para atender as necessidades do servidor, sem com isso comprometer a saúde financeira do Rio Grande do Norte”, disse a governadora.

A diretoria do sindicato levou a proposta para os policiais civis que estavam na Central de Flagrantes durante todo o dia. Em assembleia geral, a maioria decidiu aceitar.

Segundo o Sinpol, sindicato e governo vão trabalhar na finalização da minuta de um Projeto de Lei para ser enviado à Assembleia Legislativa ainda neste mês de novembro.

Série de paralisações

Na última terça-feira (5), a categoria chegou a anunciar paralisação das atividades, mas o movimento grevista foi suspenso no mesmo dia após o governo sinalizar que poderia implementar o reajuste os próximos seis meses.

Hoje, novamente os policiais civis cruzaram os braços, inclusive sem realizar atendimento mesmo na Central de Flagrantes e Delegacia de Plantão da Zona Norte. Com isso as ocorrências foram encaminhadas ao Quartel da PM.

Tags: Polícia Civil
A+ A-