PF realiza uma das maiores apreensões de drogas do ano em Mossoró

Foram apreendidos mais de 41kg de maconha prensada; até o momento duas pessoas foram presas.

Divulgação/PF
A maconha foi encontrada na bagagem de um trabalhador braçal que vinha de São Paulo
A Polícia Federal fez nesta quarta-feira (17) uma das maiores apreensões de drogas do ano registrada em Mossoró. 

Uma operação conjunta realizada pela Delegacia de Repressão a Entorpecentes da Polícia Federal de Natal e a Delegacia da PF em Mossoró, nesta quarta-feira (17), resultou na prisão de um lavrador, um vendedor ambulante e na apreensão de 41,4 kg de maconha.

Visando prevenir e reprimir o tráfico de entorpecentes, os policiais federais montaram barreiras nas principais entradas e saídas da cidade e na Rodoviária, onde passaram a monitorar pessoas consideradas suspeitas.

Por volta das 9 horas, os agentes identificaram o trabalhador braçal Januário Veríssimo Monteiro, 32 anos. Ele desembarcou de um ônibus vindo de Goiânia transportando como bagagem de mão bolsas que pareciam ter um peso excessivo. A PF desconfiou do comportamento suspeiro de Januáro, que fez várias ligações utilizando-se de um telefone celular.

Os policiais então viram quando ele pegou um táxi, acomodando a bagagem no porta-malas e resolveram segui-lo. Ao chegar no bairro Alto do Sumaré, precisamente na Rua Vaqueiro Pedro Saburá, o táxi parou defronte a uma residência e a bagagem foi retirada, sendo inicialmente acomodada ao pé de uma árvore. Neste momento, uma pessoa identificada como Francisco de Assis Jácome de Oliveira, 30, natural de João Dias, ambulante, saiu do imóvel e veio recepcioná-lo, oportunidade em que os policiais abordaram a dupla. Na presença do taxista, requisitado como testemunha, ordenaram que eles abrissem as bolsas, encontrando no seu interior, vários tabletes de maconha.

Os dois foram presos em flagrante e levados para a Delegacia. Januário disse que estava trabalhando em Rio Verde/GO, quando uma pessoa que não conhece, sabendo que ele iria viajar com destino ao Rio Grande do Norte, lhe ofereceu R$ 1.000 para que fizesse uma escala em São Paulo, onde iria receber uma sacola contendo a droga.

Em sua defesa, o segundo acusado, Francisco de Assis, que já tem antecedentes por roubo e vinha sendo investigado sob suspeita de tráfico, negou que fosse o destinatário da droga, afirmando que estava em casa vendo TV, quando teve a atenção despertada para um carro que parou na sua porta "“Quando botei a cara fora pra saber do que se tratava, vi foi aquela presepada”", garantiu.

Perguntado porque tinha viajado recentemente para São Paulo, Francisco disse que o motivo foi comprar mercadorias, pois é vendedor ambulante juntamente com a esposa, porém não soube explicar porque demorou dois meses e de lá retornou sem produto algum.

Para complicar, negou que a droga encontrada à sua porta lhe pertencesse e muito menos que conhecia ou tinha mantido contato com a pessoa de Januário.

A versão de Francisco foi desmentida quando um dos policiais imediatamente acionou a tecla de rediscagem com a última ligação efetuada no celular de Januário e o aparelho que tocou estava justamente no bolso da calça que Francisco vestia.

Esta foi a maior apreensão de maconha feita pela PF em Mossoró este ano. Os acusados estão recolhidos à Cadeia Pública de Mossoró, onde permanecerão à disposição da Justiça.

Fonte: Polícia Federal
A+ A-