PF estima que pelo menos 40 empresas de segurança privada atuam na ilegalidade

Em evento realizado na tarde desta quinta-feira (27), o Sindicato das Empresas de Segurança Privada e a Polícia Federal lançaram uma campanha de combate às atividades ilegais.

Thyago Macedo,
Thyago Macedo
Campanha foi lançada nesta quinta-feira (27).
Em evento realizado na tarde desta quinta-feira (27), o Sindicato das Empresas de Segurança Privada e a Polícia Federal lançaram uma campanha de combate às atividades ilegais na segurança privada do Rio Grande do Norte. Atualmente, apenas 20 empresas funcionam com autorização da PF.

Por outro lado, de acordo com o delegado da Polícia Federal Carlos Henrique Pimentel Nogueira, chefe da Delegacia de Controle de Segurança Privada no RN, entre 40 e 50 empresas atuam na ilegalidade. “Esse é um número que preocupa, principalmente, se a gente levar em conta que existem empresas que trabalham armadas”, destaca.

Em junho deste ano, a Polícia Federal havia deflagrado uma operação, denominada “Chuva de Balas”, na qual três empresas foram fechadas na cidade de Mossoró. Na ocasião, seis mil munições e cinco armas foram apreendidas. A PF explica que para trabalhar nesse segmento é necessário autorização do Ministério da Justiça, que só pode ser expedido pela própria Polícia Federal.

De acordo com o delegado Carlos Henrique, são cinco áreas de atuação da segurança privada. “Nós temos a vigilância patrimonial, transporte de valores, escolta armada, segurança pessoal e cursos de formação. Então, todos esses setores são fiscalizados, pois apresentam empresas agindo ilegalmente”.

Delegado afirma que população deve denunciar as empresas ilegais.
O delegado destaca que um caso típico de segurança irregular são os vigias de rua. “Essas pessoas que trabalham como segurança de residências, na maioria das vezes em motocicletas, estão na ilegalidade. Eles cobram dinheiro dos moradores que acabam se vendo obrigados a pagar”.

Carlos Henrique afirma que a população pode denunciar esse tipo de atividade ligando para o plantão da Polícia Federal, 3204-5555, ou para a Delegacia de Controle de Segurança Privada (Delesp), através dos telefones 3204-6593 ou 3204-5544.

O delegado informa ainda que na PF existe uma relação das 20 empresas legalizadas para prestarem os serviços de segurança privada. “Antes de contratar, é importante consultar essa lista”, ressalta Carlos Henrique Pimentel. O evento realizado nesta tarde contou também com a participação de autoridades das Policias Militar, Civil, Rodoviária Federal e Ministério Público.
A+ A-