PF desbarata quadrilha com notas de R$ 50 falsas em Montanhas

Antoni Junior Araújo Oliveira, Marconi Laureano Balbino e Dasayev Manasses de Brito foram presos na sexta-feira.

Divulgação/PF
PF apreendeu cédulas e CDs com os presos
A Polícia Federal do Rio Grande do Norte prendeu em flagrante três homens suspeitos de fabricar e distribuir dinheiro falso. Os estudantes Antoni Junior Araújo Oliveira e Marconi Laureano Balbino, ambos com 18 anos, e o funcionário público Dasayev Manasses de Brito, 22, foram presos às 23h da sexta-feira (12) na cidade Montanhas, distante 87 quilômetros de Natal.

Os três foram flagrados com notas falsas de R$ 50 e com dois CDs contendo programas para a fabricação de cédulas. A circulação das notas falsas no comercio de Montanhas começou a ser descoberta quando o proprietário de uma casa de show na zona rural do município foi alertado pela filha dele, que trabalhava na bilheteria, de que havia recebido uma nota falsa de R$ 50.

Minutos depois, um outro familiar do comerciante, que atuava no bar do estabelecimento, o procurou dizendo que um rapaz havia tentado passar uma nota de igual valor mas que não foi aceita por apresentar indícios de falsidade. Ao identificar visualmente tal pessoa, o comerciante chamou dois policiais militares que estavam trabalhando na festa.

Os policiais abordaram e identificaram Marconi Laureano Balbino, conhecido por “Dunga”, que tinha num dos bolsos da calça uma nota de R$ 50 com características de ser falsa, inclusive, com o mesmo número de série da que havia sido passada na bilheteria.

Como “Dunga” afirmou naquela oportunidade ser menor de identidade, imediatamente os policiais o conduziram até sua residência, mas lá, de posse dos seus documentos, observaram que ele estava aniversariando e completando a maioridade, sendo levado até a delegacia de Montanhas.

Baseado no depoimento de Marconi Balbino, a polícia conseguiu chegar até a Antoni Junior Araújo Oliveira, vulgo “Toni”, apontado como sendo o fornecedor das cédulas para que “Dunga” procedesse o derrame na cidade.

Em sua defesa, “Toni” disse que recebera cerca de oito cédulas de R$ 50 falsas das mãos de um amigo residente em Montanhas, que não foi localizado, e de uma outra pessoa chamada Dasayev, a quem não conhecia mas que sabia residir em Nova Cruz. Afirmou também ter ficado “angustiado” com a posse das cédulas, por isso propôs a “Dunga” que sumisse com as mesmas.

A dupla foi então levada até Nova Cruz onde Dasayev Manasses de Brito, vulgo “Kekéu”, foi localizado e preso, tendo afirmado que havia recebido das mãos de um conhecido residente em Montanhas um CD contendo imagens do verso e anverso de uma cédula de R$ 50 e como entende de informática, essa pessoa teria solicitado que o conteúdo fosse impresso.“Kekéu”, apesar da negativa de ter fabricado as notas falsas, disse que não devolveu o CD ao contratante porque havia "se submetido a uma cirurgia e não pode ir ao encontro do parceiro".

Incursos nos artigos 289, Parágrafo I, c/c Art. 291 do CPB, o trio está custodiado na Superintendência da Polícia Federal à disposição da Justiça, enquanto diligências tentam identificar mais pessoas envolvidas no derrame de notas falsas na região Agreste do Estado.

* Fonte: Assessoria de comunicação da PF/RN.
A+ A-