PF apreende cocaína e prende traficantes

A organização criminosa era liderada pelo construtor sulmatogrossense Heleno Pedro Silva.

Redação,
Cedidas/PF
Drogas e armas apreendidas pela Polícia Federal.
Policiais federais da Delegacia de Repressão a Entorpecentes de Natal, em conjunto com policiais federais de Mato Grosso, prenderam nesta quarta-feira (26) três pessoas e apreenderam 15,4kg de cocaína.

Após cerca de quatro meses de investigação, eles conseguiram desarticular uma organização criminosa que, partindo das cidades de Cáceres e de Barra do Graças-MT e liderada pelo construtor sulmatogrossense Heleno Pedro Silva, 45, residente em Extremoz, vinha abastecendo de droga a capital potiguar e cidades do interior.

De acordo com a Polícia Federal, a quadrilha utilizava uma chácara na BR-101 (Estrada de Touros/RN) para artesanalmente fazer o refino da cocaína. Diante das informações, a polícia passou então a monitorar o local.

Em seguida, os agentes tomaram conhecimento de que Heleno Silva encontrava-se viajando para cidades próximas à fronteira Brasil/Bolívia, onde teria ido acertar uma nova remessa de entorpecente para o Rio Grande do Norte.

Sabendo que o acusado já era investigado pela “Operaçao Duna Branca”, desencadeada no MT, foi descoberto que Heleno despachara droga naquele Estado, provavelmente a bordo do Monza de placa GMK 4169, de Ituiutaba (MG), com destino ao Rio Grande do Norte.

Para despistar, optou por seguir viagem para Natal, de avião, saindo de Cuiabá e fazendo conexão em Brasília (DF), onde foi preso pelos policiais federais no aeroporto Presidente Juscelino Kubitschek, quando tentava escapar por uma saída lateral. Ele foi trazido para Natal.

Enquanto isso, no RN, várias diligências eram realizadas, as quais identificaram residências, pessoas, modus operandi do grupo, bem como o mini-laboratório na chácara do acusado, incluindo apetrechos diversos para desdobrar cocaína em crack.

Investigações

No desenrolar das investigações, também foi preso em flagrante, em Natal, o paulista Eder Heleno da Silva, 20, solteiro, estudante de Direito, filho de Heleno Pedro, residente no Loteamento Kipanorama, em Pajuçara.

Na chácara, na BR-101, era ele quem recebia e fazia a distribuição da droga enviada pelo pai do MT. As investigações concluíram também que o Monza despachado via terrestre do Mato Grosso, estacionou naquela propriedade rural, sendo recebido por Eder, sem que seu motorista pudesse ser identificado.

O carro ali permaneceu durante toda a noite. No dia seguinte, Eder ali retornou, por volta das 5h, em uma motocicleta, trazendo na garupa uma pessoa posteriormente identificada como Isaías Carvalho da Cunha, 32, mecânico, residente no bairro de Igapó.

Quando os agentes perceberam que o Monza seria levado da chácara, resolveram então abordá-los, que tentaram evadir-se. Isaías chegou a jogar seu carro contra a viatura policial, sendo de pronto rendido, juntamente com o parceiro, que tentava se embrenhar na mata.

Em um dos cômodos da casa, foi encontrada uma caixa térmica, com cerca de 4,9kg de droga. Ela estava em um quarto trancado com cadeado e, em virtude de tal fato, foi dada a voz de prisão aos acusados.

Ao ser interrogado, Isaías disse que era mecânico e que apenas estava levando o veículo para uma oficina, a mando de Eder. Minutos depois, minuciosamente vistoriado, foi descoberto que o Monza levava no interior do tanque de combustível, envoltos em várias “bexigas” plásticas, um total de 10,5 kg de cocaína.

Com a continuidade das diligências, na casa de Eder, foram apreendidos vários comprovantes de depósitos bancários, alguns de valores elevados, cadernos com a contabilidade das atividades da quadrilha, bem como duas pistolas, sendo uma delas de origem estrangeira de calibre 9mm, de uso restrito das forças armadas.

Os três presos, incursos em artigos distintos das Leis 10.826/2003 e 11.343/2006, encontram-se custodiados na Superintendência da Polícia Federal em Natal, à disposição da Justiça.

* Com informações da Polícia Federal
A+ A-