Caso Andréia: delegado diz que trabalha “contra o tempo”

Raimundo Rolim tenta cumprir prazos “legais e naturais” para solucionar desaparecimento de dona de casa.

Fred Carvalho,
Fred Carvalho
Delegado vai ao Rio Grande do Sul ouvir familiares de Andréia
O tempo passa a ser encarado como um inimigo pela polícia no chamado “Caso Andréia”. O delegado Raimundo Rolim, que investiga o desaparecimento da dona de casa Andréia Rosângela Rodrigues, disse na manhã desta terça-feira (16) que “corre para cumprir os prazos legais e naturais para poder encontrar um culpado e para encontrar o corpo da dona de casa”.

“O prazo da prisão do marido de Andréia, o sargento Andrei Thies, está se expirando. E isso prejudica um pouco nossa investigação, que prezo para que seja concluída da melhor forma possível. Também estamos tentando localizar um possível corpo. E com o passar dos dias, isso vai ficando cada dias mais difícil”, falou Rolim.

O delegado deve embarcar rumo a Porto Alegre nesta terça-feira (16). Ele vai ouvir testemunhas e coletar material genético de familiares de Andréia Rodrigues para futuros exames de DNA.
A+ A-