Presidente é alvo de quarto panelaço durante fala na televisão

Moradores de ao menos sete grandes cidades do País se manifestaram contra o presidente nesta terça.

Da redação, Estadão Conteúdo,
Reprodução/Palácio do Planalto
Em pronunciamento, presidente Jair Bolsonaro voltou a criticar o isolamento social em meio ao surto de coronavírus.

Após pronunciamento em rede nacional, o presidente Jair Bolsonaro (sem partido) voltou a ser alvo de panelaços nesta terça-feira (24), em ao menos sete capitais do País: São Paulo, Rio de Janeiro, Belo Horizonte, Salvador, Recife, Curitiba e Fortaleza. Os protestos começaram com mais intensidade a partir das 20h30, quando o presidente discursou à nação.

Em pronunciamento em rede nacional de TV nesta terça, Bolsonaro criticou o fechamento de escolas, voltou a citar a cloroquina, remédio que ainda não tem a eficácia contra o coronavírus confirmada, criticou a imprensa por disseminar "histeria" sobre a doença e disse que, por seu histórico de atleta, não sentiria nenhum efeito caso pegasse o coronavírus.

Bolsonaro viajou com ao menos 22 pessoas que receberam diagnóstico positivo para a doença. Há duas semanas, o Estado pede os resultados dos seus exames para covid-19, mas não obtém resposta.

Em São Paulo, ao grito de "Fora Bolsonaro", manifestantes bateram panela nos bairros Santa Cecília, Pompéia, Jardins, Consolação, Higienópolis e Perdizes.

No Rio de Janeiro, foram registrados panelaços em Santa Teresa, Flamengo, Laranjeiras, Cosme Velho, Gloria.

Moradores da região central de Belo Horizonte e de bairros como Funcionários e Sagrada Família também se manifestaram durante o discurso do presidente em rede nacional.

Em Recife, houve panelaço nos bairros Boa Viagem, Casa Amarela, Rosarinho, Derby e Boa Vista.

A capital baiana, Salvador, manifestantes bateram panela em ao menos cinco bairros: Jardim Apipema, Pituba, Armação, Lucaia e Rio Vermelho. Em vídeos publicados na internet, é possível ver moradores acendendo e apagando as luzes de suas casas e apartamentos.

Em Fortaleza, o som de panelas foi ouvido nos bairros Fátima, Meirelles, Damas, Mucuripe e Benfica.

Na semana passada, o mandatário foi alvo de quatro panelaços. O último ocorreu no sábado (21), dia em que o presidente completou 65 anos. Na data, moradores de ao menos 11 grandes cidades do País se manifestaram contra o presidente.

Na quarta-feira (18), diante da convocação de panelaços contra o seu governo, o mandatário classificou o movimento contra sua gestão como “espontâneo” e uma “expressão da democracia”. Ele ainda criticou a divulgação da imprensa sobre os atos e citou um panelaço a favor do governo, que ocorreram em ao menos oito capitais.

Tags: Jair Bolsonaro Poder
A+ A-