Manifestações pró-Bolsonaro são organizadas por movimentos sociais e igrejas, diz PSL

Presidente do partido no Estado revelou que protesto é organizado por movimentos sociais e igrejas.

Rafael Araújo,
Frankie Marcone / Nominuto.com
Manifestações a favor do governo Jair Bolsonaro acontecem neste domingo em Natal em diversas capitas do país.
As manifestações pró-Bolsonaro, que acontecem neste domingo (26) em todo o país, irão acontecer em Natal a partir das 15h, com concentração na avenida Senador Salgado Filho, em frente ao shopping Midway Mall, na zona leste da cidade. Segundo o presidente do Partido Socialista Brasileiro (PSL) no Estado, coronel Hélio Oliveira, o protesto está sendo organizado por movimentos sociais e igrejas.

Apesar da deputada estadual pelo estado de São Paulo e um dos principais nomes do PSL a nível nacional, Janaina Pascoal ter criticado publicamente as manifestações pró-Bolsonaro, representantes do partido devem participar dos protestos em todo o país. Aqui em Natal, nomes como o deputado federal Generão Girão e o vereador de Natal Cícero Martins têm presença confirma no ato a ser realizado na capital potiguar.

Sobre as declarações da companheira de partido Janaina Pascoal (PSL-SP), o presidente da legenda no RN disse que a crítica não é válida, pois ninguém tem como evitar a vontade popular.

“Nem eu, nem você, nem Janaina Pascoal tem como evitar que a sociedade sinta a necessidade de ir para as ruas. Não é o PSL que está comandando as manifestações. O MBL (Movimento Brasileiro Livre) até tentou impedir o ato e vejam quantos seguidores e filiados eles perderam, foram milhares”, argumenta Hélio Oliveira.

Em seu discurso, o chefe do PSL local também criticou as manifestações que ocorreram na última semana – contra o contingenciamento de recursos da Educação. “Na semana passada quem foi à rua foi a CUT, o MST, os lideres sindicais e levaram alguns estudantes que não tinham informação correta do que estava acontecendo. Não se trata de corte de verbas, mas sim de contingenciamento”, declarou.

Sobre a polêmica da inclusão de pautas que defendem o fechamento do Congresso Nacional e do Supremo Tribunal Federal (STF) no ato pró-Bolsonaro, o líder da legenda no Estado desmentiu a possibilidade.

“Nós somos democratas, acreditamos na democracia e no fortalecimento das instituições. Só não acreditamos nessa pressão que estão querendo fazer contra o governo, porque ela não representa os anseios da sociedade. A população só quer um estado mais enxuto e eficiente”, concluiu. 

Tags: Poder
A+ A-