Morre, aos 51 anos, Arlindo Júnior, cantor do Boi-Bumbá Caprichoso

Ele lutava contra um câncer de pulmão há três anos; conhecido como 'Pop da Selva', ele foi um dos principais artistas da cultura amazonense.

Da redação, Estadão Conteúdo,
Divulgação
Com mais de 30 anos dedicados ao Boi-Bumbá, Arlindo Júnior, conhecido como "Pop da Selva" foi um dos principais artistas da cultura amazonense.

Morreu na noite deste domingo (29), em Manaus, aos 51 anos o cantor, ex-levantador do Boi-Bumbá Caprichoso e ex-vereador Arlindo Júnior. 

Ele tinha um câncer de pulmão desde 2016, estava internado desde a última quinta-feira, 26, no Hospital Samel, e teve o quadro de saúde agravado na madrugada deste domingo.

O velório acontece nesta segunda-feira (30), no Centro de Convenções ao lado da Arena da Amazônia em Manaus. Arlindo Júnior deixa esposa e cinco filhos.

Em nota, Associação Cultural Boi-Bumbá Caprichoso lamentou a morte do artista. "É difícil escrever algo sobre alguém que esteve sempre ao nosso lado, contagiado com sua alegria, com sua linda história. Arlindo Júnior é a própria história e hoje eterniza sua memória não apenas na constelação azulada, mas no estado do Amazonas, onde foi reconhecimento pelo trabalho e dedicação à cultura popular.

Com mais de 30 anos dedicados ao Boi-Bumbá, Arlindo Júnior, conhecido como "Pop da Selva" foi um dos principais artistas da cultura amazonense. O cantor conquistou títulos e cantou as toadas clássicas que embalam festas pelo Amazonas.

Tags: Arlindo Júnior morte
A+ A-