Greve pode paralisar ensino no RN a partir do dia 9

Professores do Estado e Município ameaçam parar caso não haja proposta de negociação.

Artur Dantas,

O início do ano letivo na redde pública de ensino pode ser adiada. Na assembléia marcada para o próximo dia 9 de fevereiro, às 8h, no colégio Winston Churchill, os professores do estado e município decidem se vão entrar em greve. 


Segundo a diretora geral do Sindicato dos Professores em Educação do Rio Grande do Norte, Fátima Cardoso, a reunião tem o objetivo de discutir o piso salarial da categoria no Rio Grande do Norte. Para ela, os secretários de educação estadual e municipal estão interpretando de forma errada a lei 11.738-08, que institui o piso salarial dos professores.

 

“Na lei está escrito que não pode ser pago um salário inferior a R$ 950 para o professor que trabalha no mínino 40 horas. Eles estão interpretando que esse é o teto e, na verdade, é o piso. O espírito é fazer com que os gestores apliquem o que foi acordado no plano de carreira que vem sendo desrespeitado”, disse.

 

Fátima Cardoso explicou que o secretário de educação do Estado, Ruy Pereira, anunciou o pagamento de um complemento no salário de 1500 professores do Rio Grande do Norte. Ainda de acordo com a diretora, o acumulado da perda dos profissionais chega a 34% desde 1995. “No ano passado, Carlos Eduardo reconheceu essa dívida conosco e garantiu que na folha de 2009 constaria o repasse de 5% do valor, mais a inflação”, concluiu.

 

A+ A-