Trump anuncia suspensão das manobras militares dos EUA na Coreia

Contudo, presidente dos EUA disse que sanções econômicas impostas à Coreia do Norte continuarão até que ocorra a desnuclearização do país.

Da redação, Estadão Conteúdo,
Shealah Craighead/The White House
Ditador da Coreia do Norte, Kim Jong-un, e o presidente dos EUA, Donald Trump, apertam as mãos em encontro histórico ocorrido em Singapura.

O presidente dos Estados Unidos (EUA), Donald Trump, anunciou hoje (12) a suspensão dos "jogos de guerra" na Península Coreana. Ele afirmou, no entanto, que pelo menos por enquanto não deverá reduzir o amplo contingente militar no território sul-coreano.

A suspensão das manobras militares na Península significará "tremenda economia" para os EUA, segundo Trump, que também classificou os exercícios como "provocativos", durante entrevista coletiva após o fim da histórica cúpula Cingapura com o líder norte-coreano, Kim Jong-un.

"Fizemos estes exercícios durante muito tempo ao lado da Coreia do Sul" e eles são "extremamente caros", disse o presidente, acrescentando que Seul contribui economicamente com eles, "embora não 100%".

Para Trump, essas manobras são muito provocativas. "Sob as atuais circunstâncias, é inadequado realizar jogos de guerra" e sua suspensão "é algo que [a Coreia do Norte] agradecerá".

Ele informou que a capacidade militar dos EUA "não será reduzida" na Coreia do Sul, onde Washington conta com cerca de 28,5 mil soldados.

"Quero poder devolvê-los em algum momento, mas isso não faz parte do que estamos discutindo hoje", disse, ao responder a uma pergunta da imprensa sobre a possível retirada das tropas.

O anúncio sobre as manobras conjuntas foi feito por Trump depois que Pyongyang voltou a condenar os exercícios no início do mês, que considera uma simulação de invasão de seu território. A Coreia do Norte alega que as manobras são contrárias ao estipulado pelas duas Coreias na histórica cúpula de abril.

O presidente americano afirmou que "não queria fazer ameaças", após a pergunta de um jornalista sobre as possíveis ações militares caso a Coreia do Norte não respeite o que foi estipulado hoje em Cingapura.

A Coreia do Norte se comprometeu com a desnuclearização, enquanto os EUA ofereceram ao regime de Pyongyang "garantias de segurança", segundo o acordo assinado nesta terça-feira, durante a histórica cúpula bilateral.

Trump, disse ainda que as sanções econômicas impostas à Coreia do Norte continuarão até que o regime acabe com o seu arsenal nuclear de maneira efetiva.

"As sanções serão suspensas quando tivermos a certeza de que as armas nucleares não serão mais eficazes", afirmou o presidente na entrevista.

Tags: Coreia do Norte Estados Unidos Mundo
A+ A-