Sobe para 131 o nº de mortos em terremoto na Indonésia; 70 mil pessoas estão desabrigadas

Milhares recorrem a abrigos improvisados; ilha de Lombok sofre com a falta de alimentos, medicamentos e equipe médica.

Da redação, Estadão Conteúdo,
Sonny Tumberlaka/AFP
Socorristas da agência nacional de gestão de catástrofes da Indonésia procuram sobreviventes em meio a destroços no vilarejo de Permenang.

Subiu para 131 o número de mortos no terremoto registrado no domingo na ilha de Lombok, na Indonésia, informaram as autoridades locais nesta quarta-feira (8).

Há “131 pessoas mortas, 1.477 estão gravemente feridas e 156.000 foram deslocadas”, afirmou um porta-voz da agência nacional de gestão de catástrofes, Sutopo Purwo Nugroho. “Estimamos que o balanço de 131 (mortos) aumentará.”

Equipes de resgate seguem retirando escombros com a ajuda de escavadeiras. Milhares de casas foram danificadas pelo sismo, de acordo com as autoridades.

Ao menos 70 mil pessoas estão desabrigadas e recorrem a abrigos improvisados - sem água potável e alimentos. "Os esforços para retirar as pessoas se intensificaram, mas ainda há muitos problemas sobre o terreno", declarou Nurgroho.

A província onde se encontra Lombok sofre com a falta de alimentos, medicamentos e equipe médica, disse o governador Muhammad Zainul Majdi. "Nossos recursos humanos são limitados. Faltam auxiliares médicos nos abrigos improvisados" e em outros locais.

Em algumas partes da ilha, aldeias inteiras ficaram praticamente destruídas e os habitantes dormem ao relento. Já a retirada de turistas, que estavam nas três pequenas ilhas de Gili, na costa noroeste de Lombok, foi concluída, segundo as autoridades.

Tags: Indonésia Mundo
A+ A-