Areia Branca: assaltantes morrem em confronto com PMs

Houve duas trocas de tiros e na primeira um deles foi alvejado, mas mesmo assim os dois conseguiram fugir.

Redação,
Dois homens morreram no fim da tarde desta terça-feira (13) após se envolverem em uma troca de tiros com policiais militares de Areia Branca. A dupla havia roubado um posto de combustíveis em Ponta do Mel e passou a ser perseguida. Houve duas trocas de tiros e na primeira um deles foi alvejado, mas mesmo assim os dois conseguiram fugir.

Na segunda, a dupla levou a pior e acabou morrendo. Ambos já tinham passagem pela polícia e um deles respondia processo na comarca local por assalto, tráfico de drogas e homicídio.

De acordo com o capitão Carvalho, comandante da Polícia Militar em Areia Branca, por volta das 15h, os dois assaltaram um posto de combustíveis de Ponta do Mel. De lá, eles fugiram levando cerca de R$ 800 em dinheiro e alguns objetos. A dupla fugiu usando uma motocicleta tipo Yamaha YBR ao passar pela comunidade de Pedrinhas, tiveram o primeiro encontro com policiais da Ronda Ostensiva com Apoio de Motocicleta (Rocam). Houve uma intensa troca de tiros e um deles chegou a ser atingido de raspão. Eles abandonaram a moto e saíram correndo a pé.

A dupla fugiu em direção aos reservatórios de água de uma empresa privada. Por volta das 17h30, o capitão Carvalho, juntamente com um outro policial, voltaram a cruzar com os assaltantes. O oficial estava pilotando a moto, sem farda, e o outro policial vinha de garupa. Novamente, os bandidos voltaram a trocar tiro com os policiais. Desta vez, o confronto foi cara a cara. A única coisa que separava os PMs dos assaltantes era uma estrada com pouco mais de três metros. "Eles só não me mataram porque eu estava sem farda. Na hora, eles não sabiam que era policial", conta o PM.

"Mas na hora que eles viram o policial de farda na garupa, foram logo atirando. A gente soltou a moto e foi se abrigar por trás de uma mureta. Foi isso que nos salvou", acrescenta o capitão Carvalho, explicando que a dupla foi avistada, inicialmente, com uma arma de cano longo, um revólver e uma pistola. Mas no local do último confronto, havia apenas uma pistola prateada. O revólver foi deixado para trás no local da primeira troca de tiros. "Falta ainda saber onde é que eles colocaram a arma longa. O revólver foi apreendido lá nas Pedrinhas", esclarece Carvalho.

A princípio, um dos bandidos foi identificado apenas como Paulo Wagner. Ele aparenta ter entre 25 e 40 anos de idade e já foi preso por homicídio. Foi nessa época que conheceu o outro bandido, identificado depois como Carlos, porém, em sua identidade, o nome é Damião Wenderson Rodrigues Gomes, de 29 anos.

Os dois eram acusados de homicídio e se conheceram na prisão. Além deste crime, segundo o delegado Edvan Queiroz, Paulo respondia ainda por tráfico de drogas e assalto. "Ele já era conhecido nosso aqui por envolvimento com vários crimes", relata Edvan.

* Fonte: Jornal de Fato.
A+ A-