Reunião EUA-Coréia do Norte começa com oferta de alimentos

A reunião ocorre depois que os 2 países fecharam um acordo pelo qual os EUA ofereceriam ajuda financeira e incentivos diplomáticos à Coréia do Norte, em troca do país desmantelar seu pograma nuclear.

BBC Brasil,
BBC Brasil
O representante dos EUA, Christopher Hill.
Representantes de Estados Unidos e Coréia do Norte estão reunidos para negociações em Genebra, na Suíça, como parte de um processo pelo fim do programa nuclear norte-coreano.

As conversas deste sábado (1º) começaram com expressões de otimismo e com um gesto conciliatório vindo do governo americano: a oferta de alimentos para ajudar a Coréia do Norte a se recuperar de recentes enchentes que destruíram o país.

A reunião ocorre depois que os dois países fecharam um acordo pelo qual os Estados Unidos ofereceriam ajuda financeira e incentivos diplomáticos à Coréia do Norte, em troca de o país desmantelar seu programa nuclear.

Os negociadores americanos em Genebra dizem esperar conseguir que os norte-coreanos declarem todas as suas instalações nucleares e concordem em desativá-las.

Dificuldades

Mas ainda há muitos obstáculos.

O governo norte-coreano já fechou um reator de plutônio, mas existem temores de que esteja tentando realizar o enriquecimento de urânio.

Os Estados Unidos esperam que a Coréia do Norte se explique melhor em relação a essa suspeita.

Por outro lado, os norte-coreanos querem ser removidos da lista americana de países que apóiam o terrorismo.

As autoridades americanas parecem dispostas a concordar com isso, mas devem consultar o governo japonês antes.

O Japão acha que a Coréia do Norte deveria dar mais informações sobre o seqüestro de cidadãos japoneses nos anos 70, antes de ser agraciada com laços diplomáticos.

Mesmo com as dificuldades que se apresentam, diplomatas acreditam que se as negociações em Genebra avançarem, elas podem abrir caminho para que mais instalações nucleares norte-coreanas sejam fechadas até o fim do ano.
A+ A-