Acusado pela “Barbárie do Carrasco” vai a júri nesta quinta-feira

Jonison Pereira Gomes é réu confesso do assassinato de Leide Valquíria Lucas da Costa Campos, crime cometido em 26 e agosto de 2007.

Fred Carvalho,
Fred Carvalho
Queimado vai ser julgado nesta quinta pela Barbárie do Carrasco
O homem acusado pelo crime que ficou conhecido como a “Barbárie do Carrasco” vai a júri popular nesta quinta-feira (19). Jonison Pereira Gomes, o “Queimado”, é réu confesso do assassinato de Leide Valquíria Lucas da Costa Campos, em 26 de agosto de 2007. O homicídio chamou a atenção da sociedade pela crueldade como foi cometido.

Segundo a denúncia do Ministério Público, “há indícios de que o fato foi motivado por desavenças quanto ao valor de um possível ‘programa’ que a vítima iria realizar com o acusado, demonstrando a torpeza da motivação”.

Ainda de acordo com o que foi apurado, as provas apontam que Queimado asfixou a Leide Valquíria, levando-a à morte. “Há indicativos de que o acusado agrediu a vítima quando esta encontrava-se sem vida, vilipendiando, pois, seu cadáver”.

Queimado era reciclador de lixo e morador de rua e desde que foi preso está detido no presídio provisório Professor Raimundo Nonato Fernandes.

A denúncia ministerial lembra que Leide Valquíria não podia se defender do crime, “posto tratar-se vítima portadora de distúrbio mental”.

“No dia do fato, a vítima foi vista em companhia do acusado, o qual teria combinado a realização de um ‘programa’ com esta e acertado o pagamento no valor de R$ 20. Ocorre que a vítima havia discordado do referido valor e aumentado para R$ 50, momento em que o acusado rebateu tal fato e começou a sessão de agressões contra a vítima, primeiramente, asfixiando-a, arrastando-a pelas ruas e, com requintes de crueldade, estando a vítima desfalecida, passou a empreender mais violência, quebrando seus braços e pernas e lesionando sua face e cabeça”, cita a denúncia.

O documento lembra também que Queimado, “após constatar a morte da vítima, vilipendiou seu cadáver, introduzindo diversos objetos em sua vagina, abandonando-a, em seguida, debaixo de uma barraca na feira do Carrasco”.

O júri popular, que será presidido pela juíza Eliana Alves Marinho Carlos, está previsto para começar e vai ser realizado no fórum Miguel Seabra Fagundes.
A+ A-