Solução das filas de pacientes de oncologia e ortopedia é considerada de extrema urgência

Representantes do Ministério da Saúde, diretores de hospitais públicos e membros das secretarias de saúde do município e estado buscam saída para a crise.

Maiara Felipe ,
O diagnóstico sobre a real situação da saúde do Rio Grande do Norte deverá ser conhecido nesta quinta-feira (22), quando terminar a série de reuniões que o Ministério da Saúde está tendo com membros da Secretaria Estadual de Saúde (Sesap), Secretaria Municipal de Saúde (SMS), diretores de hospitais públicos e Ministério Público (MP). 

Segundo a Sesap, as soluções para as filas de pacientes precisando de cirurgias, na área oncologia e ortopedia, estão sendo colocadas como de extrema urgência.

“Nos encontros estão sendo discutidas possíveis soluções. Ao final, será possível fazer um quadro real da situação e tomar as devidas providências”, informou o presidente do Conselho Nacional de Saúde (CNS), Francisco Júnior.

O Ministério da Saúde começou a “força tarefa” nesta quarta-feira (21), abrindo o leque de possibilidades das soluções para a crise. O contrato global com os hospitais privados não está aparecendo como única alternativa.

A+ A-