Garibaldi descarta reeleição à Presidência do Congresso Nacional

Acordos firmados devem conduzir um petista ao cargo. No entanto, Dilma Roussef diz que “governo não vai interferir nas eleições da Casa”.

Delma Lopes,
Agência Senado
Garibaldi descarta releição à Presidência do Senado.
As eleições para as presidências da Câmara Federal e do Senado giram em torno de um acordo firmado entre PT e PMDB. Em entrevista ao programa Bom dia Ministro da EBC, Dilma Roussef disse que “para o Governo é muito importante que essa aliança continue”.

Mas de acordo com o presidente do Congresso Nacional, Garibaldi Filho (PMDB-RN), “há uma reação a esse acordo”. Segundo o senador, hoje só existe uma candidatura com visibilidade na Casa, apesar de não estar consolidada. “É a do senador Tião Viana, do Acre”. 

O acordo o qual se refere a ministra vem desde a eleição de Arlindo Chinaglia na Câmara dos Deputados e que deveria repercutir no Senado. O PMDB elegeria Michel Temer na Câmara e, em troca, o partido abriria mão de indicar o presidente do Congresso Nacional para eleger um petista. 

Vlademir Alexandre
Dilma Roussef diz que Governo não vai interferir na eleição do Senado.
“Alguns senadores estão questionando isso, que o acordo deveria ter sido feito só em função da própria Câmara. Por isso está havendo um certo impasse”, explica Garibaldi que não pode ser candidato ao cargo que ocupa atualmente. 

“A constituição não permite, seria preciso uma mudança que não depende só do Senado, é necessário aprovação também da Câmara”.
O pleito está marcado para fevereiro de 2009.
A+ A-