Israel mata 13 em série de ataques contra palestinos

Doze das vítimas morreram em bombardeios na Faixa de Gaza, incluindo um dos líderes do Jihad Islâmico, Majed Al-Harazin.

BBC Brasil,
Forças israelenses mataram nesta terça-feira pelo menos 13 membros dos grupos militantes Hamas e Jihad Islâmico em uma série de ataques nos territórios palestinos.

Doze das vítimas morreram em bombardeios na Faixa de Gaza, incluindo um dos líderes do Jihad Islâmico, Majed Al-Harazin.

Fontes israelenses disseram que ele foi escolhido como alvo por, supostamente, coordenar ataques com foguetes contra alvos israelenses.

Na cidade de Jenin, na Cisjordânia, um outro palestino, identificado como outra liderança local do Jihad Islâmico, também foi baleado e morto por soldados de Israel.

O vice-ministro da Defesa israelense, Matan Vilnai, disse ter ficado "muito satisfeito" com o resultado da ofensiva.

Por sua vez, o Jihad Islâmico descreveu as mortes como uma "grande perda" e ameaçou lançar uma "onda de operações de martírio" em retaliação.

Cortejos

Milhares de pessoas tomaram as ruas nos cortejos fúnebre das vítimas, cujos corpos foram envolvidos na bandeira preta do Jihad Islâmico.

Em um dos cortejos, ativistas armados atiraram para o alto, atingindo uma rede de alta tensão que caiu e feriu pelo menos cinco pessoas.

A maior parte dos ataques com foguetes lançados de territórios palestinos contra alvos em Israel nos últimos anos é atribuída a membros do grupo.

O presidente palestino, Mahmoud Abbas, condenou os ataques de Israel, mas também criticou os ataques do Jihad Islâmico com foguetes, descrevendo a prática como "inútil".

Os ataques ocorreram um dia depois de doadores internacionais terem aceitado ceder US$ 7,4 bilhões ao governo palestino do Fatah, que controla apenas a Cisjordânia.
A+ A-