Irmão de Boris Johnson se demite por discordar de rumos do Brexit

Jo Johnson deixou cargo no governo por 'insolúveis divergências entre a lealdade à família e o interesse nacional'.

Da redação, Estadão Conteúdo,
Alberto Pezzali
Irmão de premiê Boris Johnson e deputado do Partido Conservador, Jo Johnson anunciou a demissão do governo britânico.

O irmão do primeiro-ministro britânico Boris Johnson pediu demissão do cargo que ocupava no gabinete do governo e também de seu mandato como deputado no Reino Unido por causa de “insolúveis divergências entre a lealdade à família e o interesse nacional”. Quase toda a família de Johnson é contrária ao Brexit.

Jo Johnson é o irmão caçula de Boris Johnson e deputado do Partido Conservador britânico. Também era secretário de Estado das Universidades e da Ciência, uma nomeação polêmica feita por Johnson.  Nas últimas semanas, ele demonstrou diversas vezes insatisfação com a perspectiva de um Brexit sem acordo - defendida por Boris Johnson.

“Foi uma honra representar [o círculo eleitoral de] Orpington durante nove anos e servir como secretário de Estado sob a liderança de três primeiros-ministros”, escreveu Jo Johnson em sua conta no Twitter. “É uma tensão impossível de resolver e é tempo para outros assumirem os meus lugares como deputado e secretário de Estado.”

Ele assinou: "#overandout".

A decisão de Jo Johnson ocorre na semana em que seu irmão Boris Johnson sofreu três derrotas consecutivas no Parlamento, e com a perspectiva da convocação de novas eleições para o Reino Unido.

Jo Johnson, o mais novo dos quatro irmãos Johnson, chegou a fazer campanha contra o Brexit (e, portanto, contra o irmão), mas mudou de ideia — embora continuasse a defender que a saída não poderia acontecer sem uma acordo — e em julho deste ano foi nomeado por Boris para se sentar ao lado dele no Governo.

Ex-banqueiro de investimentos e jornalista, Jo Johnson havia passado por governos de David Cameron (como secretário de Estado no gabinete do primeiro-ministro) e de Theresa May. No governo May, ele se demitiu em novembro de 2018, também por divergências em relação à condução da saída do Reino Unido da União Europeia. 

Na ocasião, ele afirmou que o acordo May sobre o Brexit oferecia aos “parlamentares a opção entre vassalagem e caos”. À época, Boris Johnson elogiou o gesto do irmão, lembrando que os dois tinham discordado sobre o Brexit, mas estavam “unidos na indignação” contra o governo de Theresa May.

Ao jornal britânico The Guardian, um porta-voz do governo britânico disse que “o primeiro-ministro gostaria de agradecer a Jo Johnson por seu serviço. Ele tem sido um ministro brilhante e talentoso e um deputado fantástico. Como político e irmão, o primeiro-ministro entende que isso não tem sido fácil para Jo”.

Tags: Mundo Reino Unido
A+ A-