Incêndio criminoso em estúdio de animação no Japão mata ao menos 33 pessoas

Homem de 41 anos é suspeito de ter jogado um líquido inflamável e iniciado o incêndio.

Da redação, Estadão Conteúdo,
Kyodo / Reuters
Cerca de 70 funcionários estavam no local quando o fogo começou.
Ao menos 33 pessoas morreram e 36 ficaram feridas em um incêndio criminoso em um estúdio de animação em Kyoto, no Japão, nesta quinta-feira (18). Segundo relatos, um homem gritou "Morram!" e ateou fogo no local. O chefe do Corpo de Bombeiros da cidade, Kazuhiro Hayashi, afirmou que 10 dos feridos estão em estado grave. Cerca de 70 funcionários estavam no local quando o fogo começou.

Hayashi disse que os bombeiros encontraram o maior número de vítimas no último dos três andares do prédio, incluindo algumas que caíram nas escadas ao tentar seguir para o telhado. Dois mortos foram localizados no primeiro andar, onze no segundo e vinte no terceiro andar.

Um homem de 41 anos é suspeito de ter jogado um líquido inflamável e iniciado o incêndio no prédio que abriga o estúdio Kyoto Animation. Meios de comunicação locais informaram que o suspeito pode ter dado início às chamas na porta da frente, forçando as pessoas no local a procurarem outras saídas.

Ele também ficou ferido e está sob custódia policial em um hospital da cidade. A identidade dele não foi revelada e ainda não há informações sobre o que teria motivado o crime. 

Segundo os bombeiros, testemunhas relataram que ouviram detonações no primeiro andar. O incêndio começou por volta das 10h30 (22h30 em Brasília) e foi contido quase em sua totalidade três horas depois, embora a fumaça ainda saísse de algumas janelas, de acordo com imagens transmitidas por emissoras de televisão locais.

Com cerca de 160 funcionários, a Kyoto Animation foi criada em 1981 e produz programas de cinema e anime para a televisão. Entre suas produções estão K-ON! e A Melancolia de Haruhi Suzumiya.

O incêndio de quarta-feira é o mais mortífero no país desde 2001, quando as chamas mataram 44 pessoas no distrito de Kabukicho, em Tóquio.

Tags: Mundo
A+ A-