Chacina causa medo e revolta no Vale Dourado

Na comunidade, comenta-se que os homens que efetuaram os disparos teriam confundido os rapazes que estavam na porta de casa com outras pessoas.

Geraldo Miranda,
Geraldo Miranda
Local onde as vítimas estavam conversando e foram executadas.
A sensação é de indignação e medo no Vale Dourado, Zona Norte, após a chacina de quatro homens, à luz do dia, em via pública.

Os familiares das vítimas estão revoltados e perplexos com a forma brutal com que seus parentes foram mortos.

No local, impera a lei do silêncio. “A vizinhança está assustada, com medo de sair de casa para comprar um refrigerante e sem saber se volta”, disse uma moradora que pediu para não ser identificada.

Os poucos que falaram com a reportagem do Nominuto.com na tarde desta quarta-feira disseram que estão sem entender o motivo da barbaridade.

O pedreiro Josefran Lima da Silva, pai do estudante Daniel Victor da Silva de Mesquita, 18, uma das vítimas, disse que "o filho era uma pessoa querida por todos e que não tinha problemas com vizinhos". "Ele nunca arranjou uma confusão na rua", disse Josefran.

Na comunidade, comenta-se que os homens que efetuaram os disparos procuravam por outras pessoas, mas confundiram os rapazes que estavam na porta de casa.

O crime aconteceu por volta das 11h20 desta quarta-feira (7). Cinco homens conversavam na calçada da rua Ferreira Cruz, nas proximidades da lagoa de captação do bairro Vale Dourado, quando três outros homens passaram em um Gol branco atirando. Apenas um dos cinco sobreviveu, porque minutos antes da chacina havia saído para ir em casa.

O caso está sendo investigado pela 9ª Delegacia de Polícia.  
A+ A-