Furacão Félix provoca deslizamentos na Nicarágua

O Félix é a sexta tempestade a atingir a região na atual temporada.

BBC Brasil,
BBC Brasil
Especialistas dizem que Félix pode provocar 'danos catastróficos'
O furacão Félix voltou a ser considerado de categoria cinco – a mais forte do gênero – e chegou à costa nordeste da Nicarágua, provocando deslizamentos nesta terça-feira (4).

O Centro Nacional de Furacões em Miami, nos Estados Unidos, afirmou que a tempestade tem força suficiente para causar estragos catastróficos e provoca ventos de até 257 quilômetros por hora.

Milhares de pessoas foram levadas para abrigos construídos pelo governo, mas há informações de que povos indígenas estariam vagando pela costa de Miskito, na fronteira entre a Nicarágua e Honduras.

Na costa oeste do México, já está se formando mais uma tempestade, batizada de Henriette, que já atingiu a categoria um de furacão.

A previsão é de que o Henriette chegue à península da Baixa Califórnia ainda nesta terça-feira (4). Na segunda-feira (3), o Félix perdera intensidade e caíra para categoria quatro.

O presidente da Nicarágua, Daniel Ortega, antecipou o retorno de uma viagem que fazia ao Panamá para coordenar os preparativos de emergência contra o furacão.

Segundo o boletim do NHC, o Félix pode levar a índices pluviométricos de até 30 centímetros em algumas partes de Honduras e da Nicarágua.

No domingo (2), o furacão passou por Aruba e pelas ilhas de Bonaire e Curaçao, causando danos pequenos.

Os governos da região temem que o Félix possa causar devastação semelhante à provocada pelo Furacão Mitch, que matou milhares de pessoas em 1998.

O Félix é a sexta tempestade a atingir a região na atual temporada. Há duas semanas, o Furacão Dean matou 18 pessoas em sua passagem pela região.
A+ A-