Filho de Bhutto pede investigação da ONU

Bilawal Bhutto, de 19 anos, afirmou que seu pai vai comandar o partido enquanto ele termina os estudos na Universidade de Oxford, na Grã-Bretanha.

BBC Brasil,
BBC Brasil
Bilawal Bhutto Zardari durante entrevista coletiva em Londres.
Bilawal Bhutto Zardari, filho da ex-primeira-ministra paquistanesa Benazir Bhutto, disse que sua família e seu partido, o Partido do Povo do Paquistão (PPP), querem uma investigação da ONU sobre o assassinato de sua mãe.

Em entrevista coletiva em Londres, Zardari afirmou nesta terça-feira (8) que, se as autoridades do Paquistão tivessem providenciado a segurança adequada, sua mãe ainda estaria viva.

Zardari também disse que o Paquistão vai se "desintegrar" se eleições livres não forem realizadas.

Esta foi a primeira vez que o filho de Benazir Bhutto, de 19 anos, falou à imprensa mundial desde que foi escolhido para liderar o partido de sua mãe, há pouco mais de uma semana.

O filho da ex-primeira-ministra afirmou que seu pai vai comandar o partido enquanto ele termina os estudos na Universidade de Oxford, na Grã-Bretanha.

Vontade do partido

Bilawal Bhutto Zardari foi questionado várias vezes sobre a escolha para assumir a liderança do PPP, continuando a tradição de sua família.

"A política está em meu sangue", disse o jovem, durante a coletiva.

Zardari respondeu ainda que sua eleição pelo comitê central do partido refletiu a vontade coletiva do PPP.

Membros importantes do partido admitiram abertamente a inexperiência de Zardari. Durante o funeral de Benazir Bhutto, eles afirmaram que o filho da ex-primeira-ministra voltaria a Oxford para completar seus estudos.

"Admito que minha experiência é limitada, mas vou melhorar", comentou Zardari.

O jovem também afirmou que pretende voltar aos estudos e levar uma vida normal de estudante. "Vou assumir meu papel como presidente (do partido) gradualmente", afirmou.
A+ A-