Vereadores do G-10 estão satisfeitos com intenção de Dickson em unir os parlamentares

Ney Júnior e Hermano Morais dizem que presidente da CMN está tendo postura democrática após a vitória.

Júlio Pinheiro,
Luana Ferreira
Ney Júnior: otimismo para clima na CMN em seu primeiro mandato.
Os vereadores de Natal que pertenciam ao G-10, grupo de oposição à reeleição do presidente Dickson Nasser (PSB), receberam com entusiasmo as declarações do comandante do Legislativo Municipal ao Jornal 96 desta quarta-feira (7). Durante a entrevista, Dickson disse que vai buscar a união entre todos os parlamentares, o que foi elogiado pelos opositores.

No entendimento do vereador Ney Júnior (DEM), a declaração de Dickson demonstra que o presidente “está agindo com um espírito democrático”, o que é importante para a reestruturação do parlamento. Entretanto, não acredita que a intenção de Nasser seja convidar os opositores a participarem da administração da Casa indicando cargos.

“Acho que ele está agindo com a intenção de transformar a Câmara em uma instituição onde todos os vereadores participem de forma igual, sem discriminações por serem mais ou menos ligados ao presidente. Pelo que ouvi e entendi, ele vai trabalhar para que não haja as panelinhas na Casa”, disse Ney Júnior.

O vereador do DEM, no entanto, acredita que a união entre os vereadores não amenizará o teor dos debates na Casa. “Nossas posições serão debatidas, mas sem que haja um clima permanente de tensão na Câmara. Mas um parlamento não pode existir sem as discussões, e essas não deixarão de ocorrer, mesmo com o clima de paz”, disse Ney.

Outro parlamentar que vibrou com a intenção do presidente Dickson Nasser foi o vereador Hermano Morais (PMDB). Para o peemedebista, o posicionamento do presidente condiz com o real papel dos vereadores perante a sociedade.

“Se há essa disposição por parte de Dickson, creio que ele está no bom caminho e fico feliz com isso. Todos temos a responsabilidade de ajudar a Casa e colaborar para que a nova Mesa Diretora administre a Câmara com todo o zelo e que não enfrente tantos problemas como nos últimos anos”, desejou Hermano.

Na eleição para a Presidência da CMN, Dickson obteve 12 votos favoráveis, contra 9 dos opositores e duas abstenções, de Edivan Martins e Aquino Neto, ambos do PV.
A+ A-