Explosões em zona militar no Paquistão matam pelo menos 24

Segundo testemunhas, a explosão que destruiu o ônibus foi ouvida em toda a cidade.

BBC Brasil,
Pelo menos 24 pessoas morreram e mais de 60 ficaram feridas nesta terça-feira (4) em dois ataques a bomba perto do quartel-general do Exército do Paquistão na cidade de Rawalpindi, próxima à capital, Islamabad, informaram as forças de segurança do país.

A primeira explosão ocorreu às 7h20 (23h20 de segunda-feira (3), pelo horário de Brasília) e atingiu um ônibus que levava funcionários do governo, matando pelo menos 15 pessoas e destruindo o veículo completamente.

Pouco depois, uma moto explodiu em um mercado a cerca de 3 quilômetros do local da primeira explosão.

O Exército informou que pelo menos 24 pessoas morreram nos dois ataques, mas não especificou o número de vítimas em cada episódio.

Segundo testemunhas citadas pela agência de notícias AFP, a explosão que destruiu o ônibus foi ouvida em toda a cidade.

"Houve um grande estrondo (...). Corpos destroçados ficaram jogados pela rua e havia sangue por todos os lados", disse uma das testemunhas, Mohammad Tahir, à AFP.

Imagens de TV mostraram equipes de resgate no local, tentando abrir caminho em meio aos destroços em busca de sobreviventes.

O porta-voz militar Waheed Arshad afirmou que o governo ainda tenta determinar em qual departamento os funcionários mortos trabalhavam.

"É terrorismo, porque pessoas inocentes foram mortas nas duas explosões", disse Arshad à agência Reuters.

Os ataques realizados por militantes no Paquistão têm aumentado desde julho, quando as forças de segurança do país invadiram uma mesquista em Islamabad depois de uma semana de cerco e mataram cerca de cem extremistas islâmicos pró-Talebã.

Segundo o correspondente da BBC Damian Grammaticas, em Islamabad, a preocupação em relação a esses novos ataques deverá ser maior devido ao fato de terem ocorrido em uma zona militar.
A+ A-