Viveiros: “sem dúvida a boa avaliação da gestão de Micarla favorecerá Agripino”

O futuro secretário de Planejamento do município de Natal fala das metas da nova administração.

Delma Lopes,
Gabriela Duarte
“Para o primeiro ano de gestão já possuímos recursos na ordem de R$ 300 milhões”, declarou.
Nos próximos quatro anos a prefeita eleita de Natal, Micarla de Sousa pretende investir R$ 1,1 bilhão na capital do Estado. O dado foi divulgado pelo futuro secretário municipal de planejamento, Augusto Viveiros, em entrevista na manhã desta terça-feira (16), no Jornal 96

“Para o primeiro ano de gestão já possuímos recursos na ordem de R$ 300 milhões”, declarou ele que acredita na colheita de bons frutos para a campanha Agripino em dois anos.

Entre as inovações que Micarla implantará em Natal, segundo Viveiros, será a construção de um Centro Administrativo “nos arredores da cidade”. O projeto prevê um palácio de despachos, um centro de convivências e salas confortáveis para melhorar o trabalho dos servidores. “Serão 40 mil metros de área construída”.

A integração de Augusto Carlos Viveiros que até então era chefe do gabinete da liderança do Democratas, em Brasília, à equipe de Micarla não foi surpresa. Desde o início o seu nome estava entre os cotados. Porém, aceitar o convite foi uma decisão que estava além do seu desejo de voltar a morar em Natal. No passado ele chegou a dizer, como revelou durante a entrevista, que só retornaria a cidade “dentro de um caixão”.

Mas agora a história é diferente. Viveiros, sem dúvida, será os olhos e os ouvidos de Agripino na Prefeitura de Natal. O senador foi o grande colaborador da campanha da pevista que se alcançar bons índices de aprovação deve beneficiá-lo diretamente na sua candidatura à reeleição em 2010. “Acredito nisso”, ressalta o futuro secretário.

Divisão
Augusto Viveiros explicou os motivos que levaram Micarla de Sousa a só anunciar parte da sua equipe.

“Ela dividiu a equipe em atividade meio e atividade fim. Nós tínhamos que agilizar a primeira (meio) para viabilizar a segunda. Uma busca os recursos outra executa”.

Otimista, Viveiros acredita na liberação dos recursos. “Já possuímos R$ 150 milhões que nos foram deixados pela atual administração, através de contratos já assegurados. Além disso, conseguimos R$ 98 milhões, através de emendas coletivas no Orçamento”.

De acordo com ele, também já foram solicitados R$ 70 milhões ao Banco do Brasil.

Entrevista
Confira abaixo a entrevista completa concedida ao Jornal 96 desta terça-feira (16).

A+ A-