Líder do PT diz que candidatura de Tião Viana no Senado é irreversível, apesar de Sarney

Segundo a senadora Ideli Salvatti é lamentável a decisão do ex-presidente que, por várias vezes afirmou não concorrer a vaga, agora, entrar na disputa.

Agência Brasil,
A líder do PT no Senado, Ideli Salvatti (SC), afirmou nesta quarta-feira (21) que a candidatura de Tião Viana (PT-AC) à presidência do Senado é irreversível. A senadora lamentou a decisão do ex-presidente José Sarney (PMDB-AP) de entrar na disputa, após declarar várias vezes que não seria candidato.

“Estamos em uma situação política que não foi criada por nós. Lamentamos que a situação tenha chegado a esse grau de constrangimento”, disse a líder petista, argumentando que a candidatura de Viana surgiu porque Sarney, desde novembro, vem afirmando que não seria candidato.

“As declarações do Sarney eram públicas e notórias. Só para o Tião foram cinco vezes, olho no olho”, disse Ideli. “Estamos mantendo nosso acordo na Câmara e não temos como recuar agora, ainda mais com partidos anunciando apoio, como o PDT e o PSOL. “Agora, vamos para o voto”, completou.

Em relação à neutralidade do Palácio do Planalto em relação à disputa, Ideli disse que o presidente Luiz Inácio Lula da Silva não poderia intervir em uma disputa entre dois candidatos, que participam da base. Mesmo assim, ela afirmou que o próprio presidente teria demonstrado insatisfação pela postura de José Sarney.

Para Ideli, não houve nenhum fato novo que justificasse a mudança de postura de Sarney. “Não sabemos qual foi o fato novo que fez com que ele [Sarney], depois de tanto tempo negando, venha, agora, assumir a posição de candidato”, argumentou a líder petista, dizendo não se sentir traída por Renan Calheiros (PMDB-AL), principal articulador da candidatura de Sarney.

Na última legislatura, Ideli apoiou a candidatura de Renan à presidência. "A oposição não poderia contar com meu voto para eleger um presidente contra o governo", justificou.
A+ A-