Cúpula do G7 aborda igualdade de gênero e mudança climática

Líderes também expressaram total apoio à "completa, irreversível e verificável" desnuclearização da Coreia do Norte.

Da redação, Agência Brasil,

Os líderes do G7 reunidos em La Malbaie, no Canadá, começaram a discutir neste sábado (9), o último dia da cúpula, a igualdade de gênero, a saúde dos oceanos e a mudança climática após terem focado as conversas de sexta-feira em comércio e política internacional as conversas.

Fontes consultadas pela Agência EFE explicaram que a última sessão de sexta-feira, dedicada a assuntos globais, terminou com discussões sobre dois grandes temas: Coreia do Norte e a ameaça das intervenções estrangeiras aos sistemas democráticos.

Os líderes expressaram total apoio à "completa, irreversível e verificável" desnuclearização da Coreia do Norte, de olho na reunião prevista para a próxima terça-feira em Cingapura entre o presidente americano, Donald Trump, e o líder norte-coreano, Kim Jong-un.

Mas o tema das ameaças aos sistemas democráticos, especialmente procedente de Rússia e China, assim como de entidades não estatais, não contou com a mesma sintonia.

Durante a discussão, Trump voltou a insistir para que a Rússia seja reintegrada ao grupo, do qual foi expulsa em 2014 após invadir o território ucraniano da Crimeia. Nenhum dos demais líderes do G7 apoiou a proposta do presidente americano.

Como os temas mais controversos já foram debatidos no primeiro dia da cúpula, as delegações dos países preveem que haja maior consenso nas sessões deste sábado, especialmente no que se refere às discussões sobre gênero.

Integrantes da delegação canadense assinalaram que durante a sessão os líderes do grupo dos sete países mais desenvolvidos traçarão ações concretas "para que o G7 promova a igualdade de gênero e o empoderamento das mulheres no mundo todo".

Trump avisou que deixaria a cúpula às 10h30 (horário local; 11h30 em Brasília), ao término da sessão sobre gênero. A Casa Branca informou que o presidente americano teve que encurtar a presença no encontro para viajar a Cingapura, onde se reunirá com Kim Jong-un. A saída antecipada de Trump evitará que ele participe das discussões sobre a mudança climática e a saúde dos oceanos.

O Canadá convidou para esta parte da cúpula os líderes de 12 países de todo o mundo, entre eles o presidente argentino, Mauricio Macri, que comparece ao evento como presidente rotativo do G20.

Além da Argentina, os países convidados à última sessão da cúpula do G7 em La Malbaie são Ruanda, Senegal, Quênia, Ilhas Marshall, Seychelles, Haiti, África do Sul, Bangladesh, Noruega, Jamaica e Vietnã.

Tags: G7 Mundo
A+ A-