Coríntians de Caicó pode ficar fora do Campeonato Estadual

O clube planejava um apoio da prefeitura municipal, mas uma desavença política deve deixar o clube fora da competição de 2009.

Artur Dantas,
Nem mesmo começou o Campeonato Estadual e alguns times passam por problemas para poder disputar a competição potiguar. Nesta terça-feira (23), o Coríntians de Caicó recebeu a notícia que pode dificultar a participação do clube no evento em 2009, com início marcado para o próximo dia 21 de janeiro.

O presidente do Coríntians de Caicó, Rogério Gurgel, explicou que a falta de incentivo por parte da Prefeitura Municipal pode ter colocado um ponto final na preparação do time para a competição. O time dependia de um apoio financeiro para iniciar a pré-temporada para o campeonato.

Rogério explicou que um conflito de interesses políticos pode ter sido a causa do veto à liberação de verbas para o clube. O fato é explicado porque o diretor de futebol do Coríntians e vereador em Caicó, Lobão Filho votou contra o projeto proposto pelo prefeito Rivaldo Costa, mais conhecido por Bibi Costa.

Bibi emitiu um ofício na manhã desta terça-feira (23) explicando que o apoio não foi possível devido aos cortes no orçamento do município, além dos efeitos da crise mundial, que teve implicações em todas as cidades e regiões do Brasil.

Para Rogério, a negativa não convenceu e a justificativa é puramente política. “No m~es passado eu pedi um apoio para poder dar início aos trabalhos, mas o prefeito disse que a resposta só seria dada dia 2. Diante da demora, eu enviei um ofício que foi respondido hoje. Eu acho que futebol não tem nada a ver com política”, afirmou.

A equipe do Nominuto.com tentou o contato com a prefeitura de Caicó, mas não conseguiu ouvir o prefeito a respeito da situação do clube e do ofício encaminhado a ao presidente do Coríntians.

A saída para o time será a iniciativa privada. Rogério disse que até o dia 30 de dezembro, o clube deve confirmar ou não a participação no Estadual. O clube planeja o apoio de alguns empresários locais para custear as despesas do clube durante o calendário da competição norte-rio-grandense.

“Enquanto muitos clubes contam com o apoio de 30 ou 40 mil reais, nós precisamos apenas de 10 e auxílio alimentação. Isso que estão fazendo conosco é uma vergonha. É ruim para a cidade e para os torcedores do clube”, encerrou.
A+ A-