Chávez pretende receber enviado das Farc em Caracas

Presidente venezuelano afirma que Uribe apóia seu papel de mediador nas negociações.

BBC Brasil,
BBC Brasil
Chávez esteve reunido com presidente colombiano, Álvaro Uribe, na Colômbia.
O presidente da Venezuela, Hugo Chávez, anunciou nesta sexta-feira (31) que pretende receber em Caracas um representante das Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia (Farc) para discutir a libertação de reféns.

O anúncio foi feito durante a visita de Chávez à Colômbia, depois de uma reunião de mais de sete horas com o presidente colombiano, Álvaro Uribe.

"O presidente Uribe aprovou a idéia de que eu receba representantes das Farc na Venezuela", disse Chávez depois da reunião, realizada em uma propriedade presidencial a 35 quilômetros ao norte da capital, Bogotá.

O papel de Chávez como mediador entre o governo da Colômbia e o grupo rebelde já havia sido discutido no início de agosto.

Na ocasião, o presidente venezuelano se ofereceu para ajudar as autoridades colombianas a alcançar um acordo humanitário com os rebeldes para a libertação de um grupo de 46 reféns. Em troca, o governo colombiano libertaria prisioneiros das Farc.

Desafio

Segundo o correspondente da BBC Jeremy McDermott, em Bogotá, Chávez deverá enfrentar um grande desafio como mediador.

Alguns desses reféns estão em poder das Farc há uma década, e o grupo rebelde já disse que não vai libertar nenhum enquanto centenas de seus integrantes permanecerem em prisões colombianas.

Até agora, as tentativas de acordo entre as Farc e o governo colombiano têm fracassado.

Entre os pontos de discórdia está a criação de uma zona desmilitarizada, exigência das Farc que é negada pelo governo de Uribe.

Familiares

Chávez disse ainda não saber quem será o enviado das Farc a Caracas nem a data do encontro.

Centenas de pessoas são matidas reféns pelas Farc. Nesse grupo de 46 reféns cuja liberdade será negociada está a ex-candidata à Presidência da Colômbia Ingrid Betancourt, seqüestrada pelos rebeldes em 2002.

Alguns familiares de reféns manifestaram otimismo com o envolvimento de Chávez nas negociações.

"É a primeira vez em que vejo que pode haver uma luz no fim do túnel", disse o marido de Betancourt, Juan Carlos Lecompte.

ELN

Segundo o correspondente da BBC Mundo em Bogotá, Hernando Salazar, as gestões de paz do presidente venezuelano não se limitam às Farc.

Em sua visita à Colômbia, Chávez disse que também pretende realizar uma reunião em Caracas para tentar destravar as negociações de paz entre o governo de Uribe e o grupo guerrilheiro Exército de Libertação Nacional (ELN).

O encontro desta sexta-feira foi a oitava reunião bilateral entre Chávez e Uribe. Além da mediação com as Farc, os dois líderes firmaram acordos na área econômica.

Chávez disse ainda que pretende discutir a volta da Venezuela à Comunidade Andina de Nações (CAN), grupo do qual o governo de Caracas se retirou em 2006.
A+ A-