Vagner Araújo afirma que R$ 70 mi foram remanejados do Orçamento

Na opinião do secretário estadual de planejamento faltou "aprofundamento" no debate do OGE, por parte dos deputados.

Delma Lopes,
Fotos: Danilo Dantas
Vagner Araújo critica mudanças no Orçamento.
Um dia após o desentendimento público entre a governadora Wilma de Faria e o presidente da Assembléia Legislativa do RN, Robinson Faria por causa de alterações no Orçamento do Estado para 2009, o secretário de planejamento Vagner Araújo informou em entrevista ao Jornal 96, na manhã desta terça-feira (17), que os deputados chegaram a “mexer” em R$ 70 milhões dos recursos.

O valor é superior ao anunciado ontem (16) durante sessão que marcou a leitura da mensagem da chefe do Executivo. Segundo Robinson a alteração seria de R$ 50 milhões.

A alteração desagradou Wilma de Faria que externou isso durante o seu discurso: “o orçamento foi desconfigurado”, reclamou. Responsável pelo manuseio desses recursos, Vagner reconheceu a legitimidade da interferência dos deputados e disse que a governadora tem tentado o diálogo “para chegar a uma solução”, mas fez uma ressalva.

“Ao fazer essas alterações, algumas dessas emendas atropelaram o Orçamento e isso é um problema para sua execução”. O secretário observa que depois da Lei de Responsabilidade Fiscal e de outras normas inseridas na legislação brasileira, o orçamento já fica “amarrado” e, citou exemplos:

“O Orçamento tem que atender a uma série de requisitos, por exemplo, 25% desses recursos têm que ir para a Educação, 12% no mínimo vai para a Saúde, já a destinação de verbas para pagamento de pessoal não pode ultrapassar os 60%, que dizer é uma série de normas”.

Vagner criticou a forma como o Orçamento é apreciado pela Assembléia. Para ele falta um debate mais aprofundado. “Nem todos os deputados alcançam os detalhes dele [orçamento], e termina comprometendo. Fica na mão de alguns técnicos e na hora que a gente vai analisar se depara com isso. Acho que é uma questão de diálogo e não de desrespeito ao Legislativo”, ressalta.
Com as alterações, o secretário de planejamento afirmou que algumas obras podem ficar comprometidas como a construção de uma ponte que caiu na cidade de Macau, durante as enchentes no ano passado.

“A Assembléia tem o direito, agora existem normas a serem cumpridas e, além disso, tem algumas ações que o governo propõe, que são de interesse da coletividade e que a assembléia ao tirar dinheiro delas acabou comprometendo”.

De acordo com o auxiliar de Wilma, os deputados remanejaram cerca de R$ 1 milhão das obras da ponte. “Essa obra que atende a um pedido de parte dos próprios parlamentares, precisa ser concluída”.

Águas passadas?
Mesmo com o mal estar entre a governadora e o presidente da Assembleia, o secretário Vagner Araújo garante que não ficaram mágoas entre os dois. Segundo ele, houve até troca de elogios durante discurso na inauguração de uma obra na cidade de Jardim de Angicos.

“Ontem mesmo eles voltaram a se encontrar na missa de ação de graças pelo aniversário da governadora, e dentro do carro se dirigindo para João Câmara e Jardim de Angicos”.

A ida da governadora Wilma de Faria a Jardim de Angicos se deveu a inauguração da estrada que liga uma cidade a outra. Foram investidos R$ 5 milhões na construção de 23km de uma via asfaltada.

Entrevista
Confira a entrevista completa concedida ao Jornal 96 desta terça-feira (17).

A+ A-