Ataque terrorista deixa 3 mortos e 9 feridos em Utrecht, na Holanda

Homem começou a disparar de forma aleatória em um bonde elétrico; polícia procura pelo atirador.

Da redação, Estadão Conteúdo,
Twitter/PolitieUtrecht
Autoridades estão em busca de um homem de 37 anos nascido na Turquia como principal suspeito.

Três pessoas morreram e nove ficaram feridas em um ataque a tiros nesta segunda-feira (18), em um bonde elétrico na zona oeste da cidade de Utrecht, no centro da Holanda. A polícia local considera a possibilidade de "motivações terroristas" e está em busca de um homem de 37 anos chamado Gökmen Tanis, nascido na Turquia, como principal suspeito.

Segundo testemunhas, um homem sacou uma arma e começou a disparar de forma aleatória e contínua. A polícia local indicou que ele fugiu após a ação, que aconteceu por volta das 10h45 (6h45 em Brasília), e está desaparecido. Ainda não há detalhes sobre o estado de saúde das vítimas.

Equipes de emergência e helicópteros estão no local, onde os policiais já estabeleceram um cordão de isolamento. O porta-voz da polícia de Utrecht, Joost Lanshage, afirmou que, até o momento, ninguém foi preso. Uma unidade antiterrorismo foi enviada à região.

As autoridades locais recomendaram que as escolas de Utrecht mantenham as portas fechadas, e elevaram o nível de ameaça terrorista ao mais alto para a região. A polícia holandesa está em "alerta máximo" para aeroportos e "prédios importantes" do país, e afirmou que ao menos uma pessoa pode ter fugido em um carro.

A segurança também foi reforçada nas mesquitas da cidade. Na sexta-feira (15), um australiano de 28 anos matou 50 pessoas em duas mesquitas na cidade de Christchurch, na Nova Zelândia, e transmitiu as ações ao vivo no Facebook. Antes dos atentados, ele escreveu um manifesto citando vários autores de ataques racistas ou de extrema direita.

Atirador em fuga

TerroristanaHolandaA polícia holandesa compartilhou em sua conta no Twitter uma imagem do principal suspeito dentro de um bonde vestindo um casaco azul.

O primeiro-ministro holandês, Mark Rutte, disse que está "profundamente preocupado" com o incidente, e cancelou uma reunião que teria com partidos da coalizão.

O coordenador de contraterrorismo do país, Pieter-Jaap Aalbersberg, ressaltou que uma equipe de crise está reunida para discutir a situação. "O culpado ainda está foragido. Uma motivação terrorista não está descartada", disse ele. "O ataque aconteceu em vários lugares. Há uma importante operação policial em curso para deter o agressor."

A polícia da Alemanha informou que aumentou a vigilância na fronteira com a Holanda e está à procura do atirador envolvido no ataque. De acordo com Heinrich Onstein, porta-voz da polícia federal no Estado fronteiriço de Renânia do Norte-Vestfália, mais policiais foram convocados para observar não apenas grandes rodovias, como também passagens menores, como rotas ferroviárias.

Onstein afirmou que policiais federais estão em contato com as autoridades da Holanda e já têm uma descrição do suspeito. Inicialmente, as autoridades alemãs foram alertadas a procurar um Renault Clio, mas depois souberam que o veículo foi abandonado em Utrecht, cidade com 330 mil habitantes localizada a cerca de 40 km de Amsterdã.

Tags: Holanda Terrorismo
A+ A-