Aposentado é morto asfixiado dentro de casa na Cidade da Esperança

Corpo de Manoel Inácio foi encontrado na sala de jantar com as pernas amarradas. Suspeitos do crime fugiram saltando o muro de casas vizinhas.

David Freire,
Fotos: David Freire
Corpo do aposentado foi encontrado na sala de jantar.
O aposentado Manoel Inácio da Silva, 74 anos, foi encontrado morto na tarde desta quinta-feira (6) dentro de sua casa, localizada na avenida Paraíba, em Cidade da Esperança, zona Oeste de Natal. Detalhe: o local onde ocorreu o crime é em frente ao prédio do 8º Distrito Policial.

O corpo estava caído na sala de jantar de sua casa com marcas de asfixia e com as pernas amarradas por um pano. Segundo informações da Polícia, dois homens foram vistos fugindo da residência do aposentado pulando os muros das casas vizinhas.

Uma equipe de policiais militares estava no prédio do 8º DP em uma ocorrência. O soldado Leonardo Pereira, das Rondas Ostensivas com Apoio de Motocicletas (Rocam), informou que "uma vizinha (da vítima) ouviu um barulho estranho como se fosse um gemido, mas não desconfiou de nada. Pouco tempo depois, ela ficou angustiada com o barulho e nos avisou".

Os PMs atravessaram a rua e chegaram à casa do aposentado. "Como o portão estava fechado, tentamos entrar pela casa vizinha", disse. Ao pularem o muro, os policiais foram até a janela da casa, que estava entreaberta. "Vimos uma coisa parecida como um vulto e pensamos que fosse o aposentado. Nesse momento, percebemos que eram duas pessoas e elas saíram correndo pelos fundos da casa", narrou.

Os dois suspeitos saltaram o muro de três casas antes de conseguirem chegar à rua paralela ao local onde ocorreu o crime. Ao entrarem na casa, os policiais militares encontraram o corpo do aposentado na sala de jantar, que estava revirada com a mesa afastada e uma vassoura quebrada. 

 
Pés da vítima estavam amarrados.
No quintal da residência, foram encontrados dois panos amarrados como se tivessem sido utilizados para amordaçar a vítima. Policiais militares e parentes da vítima não souberam informar se algum pertence ou dinheiro do aposentado foi levado pelos suspeitos.

Familiares do aposentado que chegaram à casa momento depois do crime conversaram com a reportagem do Nominuto.com. Abalados com o fato, eles disseram que Manoel Inácio morava naquela casa há muitos anos, mas que era aconselhado pelos parentes a mudar de residência. "Ele já tinha sido assaltado antes e a gente conversava para que fosse para outro lugar para ficar mais seguro", disse Mireli Carla, sobrinha da vítima.

Ela contou que o tio era funcionário aposentado da Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN). "Não sei direito em que ele trabalhou. Só sei que foi lá", disse. Mireli contou que Manoel Inácio que "vez por outra, alguns garotos vinham aqui e ele dava uns trocados". A garota não soube dizer quem são os garotos.

A sobrinha do aposentado contou que a família soube da morte do aposentado por meio dos vizinhos. "Eles chegaram aqui em casa contando e nós fomos direto para a casa dele", lembra. Alano Miguel, outro sobrinho da vítima, informou que o tio "recebeu o pagamento deste mês na terça-feira (4). "O problema é que ele confiava demais nas pessoas", lamentou.

* Matéria atualizada às 18h08 para acréscimo de informações.
A+ A-