Justiça decreta prisão temporária de acusado de matar amigo em confraternização

Polícia busca por Ailton Berto da Silva desde o sábado, quando crime ocorreu em Extremoz.

Da redação,
Reprodução/Redes Sociais
Ailton Berto da Silva, à esquerda, é considerado foragido, acusado de matar a tiros o amigo, Fantone Maia, em uma confraternização.

A Justiça decretou nesta segunda-feira (2) a prisão temporária do homem acusado de ter atirado contra os colegas durante uma confraternização de jipeiros, realizada no último sábado (30), na praia de Santa Rita, no município de Extremoz, deixando um morto e outras duas pessoas feridas.

De acordo com informações da assessoria da Polícia Civil, Ailton Berto da Silva agora passa a ser considerado foragido. A investigação do crime está sob a responsabilidade da Divisão de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP). Nesta segunda-feira (2), policiais foram em dois endereços ligados ao acusado, mas o homem não foi localizado. Em uma das localidades, a polícia apreendeu munições de .40, um calibre de uso restrito das forças de Segurança Pública.

Segundo informações colhidas no dia do crime, Ailton estava embriagado e teria surtado após uma brincadeira praticada por um dos amigos, iniciando uma confusão. Fantone Maia, de 41 anos, morreu baleado ao tentar conter os ânimos. Além da vítima fatal, outros dois homens ficaram feridos no tiroteio. O acusado fugiu do local depois de realizar os disparos.

A Polícia solicita que qualquer informação que possa levar ao paradeiro de Ailton Berto da Silva, seja repassada por meio do disque denúncia, no número 181. O anonimato é garantido.

Tags: Justiça Polícia
A+ A-